11 fevereiro 2019

Presidente do Senado na mira do TSE


Alvo de três ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) envolvendo supostas fraudes na campanha de 2014, o novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), usou empresas da família e do contador e presidente do comitê financeiro do partido para justificar gastos de R$ 763 mil que estão sob suspeita.

Em novembro passado, a ministra Rosa Weber, do STF, negou pedido de arquivamento da investigação feito pelo senador e autorizou a quebra de sigilo bancário do contador da campanha de Davi, Rynaldo Gomes, e de sua empresa, a R.A.M. Gomes. Gomes recebeu R$ 478 mil da candidatura do senador e do comitê do DEM - as contabilidades de ambos são controladas por ele. Os inquéritos estão em segredo de Justiça.

Gomes é peça central tanto nas ações no TSE, que pedem a cassação de mandato de Davi por abuso de poder econômico, quanto nos inquéritos no STF, que investigam suposto crime de falsidade ideológica. Ele é acusado de ter usado cinco notas frias no valor de R$ 157 mil em nome da empresa L.L.S. Morais-ME na prestação de contas da campanha de Davi e de ter falsificado documento da Prefeitura de Macapá para tentar regularizar a contabilidade.

Uma quebra de sigilo parcial feita ainda durante investigação no âmbito do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) constatou que R$ 34 mil referentes a serviços prestados pela L.L.S. foram transferidos para a conta bancária de Gomes. A apuração teve origem em três ações eleitorais movidas pelo ex-senador Gilvam Borges (MDB-AP) - aliado de José Sarney, derrotado por Davi -, pela coligação e partido dele.

O TRE-AP indeferiu o pedido de cassação de mandato em 2016 entendendo que a participação ou ciência de Davi sobre a fraude não foi comprovada e determinou que o crime de falsidade ideológica fosse apurado em uma ação penal, aberta naquele ano. Três recursos foram apresentados ao TSE e estão desde agosto do ano passado no gabinete do ministro Edson Fachin.

Em abril do ano passado, o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, defendeu em três pareceres a cassação do mandato de Davi e dos dois suplentes - um deles, Josiel Alcolumbre, é irmão do senador. O procurador afirmou que "restou comprovada a contaminação da campanha eleitoral" de Davi pelas "ações ilícitas em tratativa". E, segundo ele, é "impossível desvincular" dos candidatos a figura de Gomes, contador responsável pela prestação de contas, fornecedor de campanha e presidente do comitê financeiro do DEM.

Gasolina

Além das ações envolvendo o contador, também são alvo de questionamento no TSE pagamentos de R$ 285 mil com "combustíveis e lubrificantes" feitos pela campanha de Davi e pelo comitê do DEM para a Salomão Alcolumbre & Cia Ltda., que pertence a uma tia e primos do senador.

Só a campanha de Davi em 2014 declarou ter gasto R$ 135 mil com gasolina em postos da família para 20 veículos. O valor é maior do que os gastos com combustível de todos os outros nove candidatos ao Senado juntos. Com a quantia seria possível encher o tanque de 1.000 carros, fazer 140 viagens de ida e volta entre Macapá e Brasília ou completar quase 17 voltas na Terra.

Dona de uma rede de postos em Macapá, a empresa Salomão Alcolumbre aparece como fornecedora de campanha em 2014 de outros 40 candidatos e três comitês ou diretórios partidários. Os gastos de Davi e de outros dois parentes candidatos naquele pleito, porém, representam mais da metade dos R$ 551,5 mil que a empresa da família recebeu naquela eleição.

O jornal O Estado de S. Paulo tentou por quatro dias falar com Marina Alcolumbre, uma das proprietárias da rede de postos. Davi emprega em seu escritório político em Macapá a mulher de um dos primos herdeiros da empresa. Na sexta-feira, a reportagem não localizou Vânia Alcolumbre por telefone em seu local de trabalho.

A assessoria do presidente do Senado não respondeu aos questionamentos enviados pela reportagem até a conclusão desta edição. Davi tem afirmado que a prestação de contas foi aprovada pelo TRE do Amapá e que "está convicto de que, ao final das apurações, restarão todas as alegações esclarecidas e devidamente dirimidas". Na disputa pela presidência da Casa, ele usou o discurso da renovação na política, se contrapondo ao senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Rynaldo Gomes não foi localizado. A R.A.M. Gomes e a L.L.S. Morais estão inativas, segundo a Receita Federal.

Parentes

As supostas irregularidades na campanha de 2014 do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também envolvem duas emissoras de TV da família do senador no Amapá, que teriam produzido, segundo ação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), material de campanha clandestino e nota fiscal para prestação de contas com data posterior ao término da eleição.

A ação movida pelo diretório estadual do MDB contra Alcolumbre acusa a campanha do senador de apresentar uma nota de R$ 2,5 mil emitida pela empresa TV Amazônia Ltda.-ME, afiliada da TV Band no Amapá e dirigida pelo irmão e suplente de Davi no Senado, Josiel Alcolumbre, para compra de diversos materiais gráficos.

Além da nota fiscal ter data posterior à da eleição, o que é vedado pela lei eleitoral, o cheque de R$ 2,5 mil que deveria ter sido pago à empresa de Josiel foi descontado em espécie pelo contador da campanha, Rynaldo Gomes, que já é investigado pela suspeita de usar notas frias e receber recursos de outros fornecedores.

Em parecer pela cassação de Davi, em 2018, o vice-procurador-geral eleitoral Humberto Jacques Medeiros, afirma que o fato "confirma" que foram usados na prestação de contas do senador "expedientes com vistas a ocultar o real destino dos valores movimentados na campanha e impedir ou, no mínimo, dificultar o controle a ser realizado pela Justiça Eleitoral, corroborando a conclusão pela necessária cassação dos mandatos pela prática de fraude e abuso de poder econômico".

A ação movida contra o presidente do Senado afirma ainda que outra empresa da família, a TV Amazônia Ltda. - EPP, que é afiliada do SBT no Amapá e pertence a José Alcolumbre, tio do senador, encomendou em uma gráfica ao menos R$ 5,9 mil em material clandestino. A reportagem não conseguiu encontrar os dois empresários na última sexta-feira pelo telefone das empresas. O senador não retornou o contato feito pelo Estado até a publicação desta matéria.

A campanha de Davi ao Senado em 2014 custou R$ 2 milhões e teve entre seus financiadores as empresas JBS, com doação de R$ 138 mil, e Odebrecht, com R$ 100 mil. Ele não foi delatado pelos executivos da empreiteira e não é investigado pela Lava Jato, mas seu nome aparece na lista fornecida ao Ministério Público Federal por Joesley Batista, da JBS, dos supostos beneficiários de propinas "disfarçadas" de doações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Suspeitos de assalto são baleados em Nova Parnamirim, um morre e outro é socorrido

G1.com/RN - Dois homens, ambos suspeitos de cometerem assaltos na região de Nova Parnamirim, em Parnamirim, cidade da Grande Natal, foram baleados no final da madrugada desta segunda-feira (11) em uma rua lateral à loja de material de construção Leroy Merlin. Um deles morreu na hora. O outro, foi levado ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho. Ainda não há pistas do atirador.

Segundo a PM, os dois suspeitos estavam em uma motocicleta e teriam sido seguidos por um homem em um carro logo após terem assaltado uma mulher em uma parada de ônibus na Av. Abel Cabral, uma das mais movimentadas do bairro.

Já na Rua Antônio Lopes Filho, que fica ao lado da loja, o motorista do carro teria encontrado a dupla, parado o veículo, descido e atirado.

A PM foi chamada e ainda fez buscas pela região, mas o suposto motorista não foi encontrado.

O morto ainda não foi identificado. Já o baleado que foi socorrido, tem 19 anos e foi reconhecido por já ter passagens pela polícia. Há informações de que ele chegou ao hospital sem conseguir movimentar as pernas.

Detran adesiva frota veicular ampliando transparência e controle social


O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) está finalizando o processo de aplicação de adesivos com a identificação da marca da autarquia em todos os veículos de sua propriedade ou contratados por sistema de locação, cerca de 60 automóveis. A medida tomada pela Direção Geral do Detran segue o que determina o decreto governamental nº 28.696/2019, assinado pela governadora Fátima Bezerra, e que dispõe sobre os procedimentos de uso, gerenciamento e controle da frota de veículos oficiais do Estado.

A providência segue no caminho de conceder maior transparência e controle social da utilização da frota de veículos da autarquia, além de ser um fator que amplia a visibilidade, identificando junto à população os automóveis que atuam pelo Detran. A ação também busca inibir qualquer tipo de desvio dos veículos oficiais para fins particulares ou contrários à sua finalidade de atuação a serviço do Detran e da sociedade.

O coordenador administrativo do Detran, Wellington Tinoco, informou que o processo de aplicação de adesivos de identificação veicular já foi finalizado nos automóveis cadastrados nas unidades do órgão situadas na capital. “Estamos agora iniciando a aplicação nos carros que estão a serviço do Detran nas cidades do interior do estado. Até o final desta semana toda a frota estará identificada”, assegurou.

Além da identificação visual dos veículos oficias, o Detran também implantou demais medidas de controle especificadas no decreto nº 28.696/2019, a exemplo do registro de quilometragem inicial e final, após cada utilização; vistoria veicular no início e no término do expediente; recolhimento dos automóveis após uso em serviço; e a vedação do uso nos sábados, domingos, feriados ou em horário fora do expediente do órgão, exceto para os serviços de plantão e para o desempenho de outros serviços inerentes ao exercício da função pública do Detran.

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em São Paulo


O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu na queda de um helicóptero no início da tarde de hoje (11) em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista, ao interior. Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto da aeronave também morreu carbonizado.

Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista ISTOÉ.

O motorista de um caminhão atingido no acidente foi resgatado pelo serviço da concessionária que administra a via. O fogo no local já foi extinto.

07 fevereiro 2019

SINTE questiona governo sobre parcela do Piso 2018 e 1/3 de Férias

A direção do SINTE/RN questionou o governo do Estado acerca do não pagamento da 4ª parcela do retroativo do Piso Salarial 2018 e o 1/3 de férias. A cobrança foi feita nesta quarta-feira (06) em mais uma ida do Sindicato a SEEC.

Segundo os recursos humanos da Secretaria Estadual de Educação, a 4ª parcela do retroativo do Piso 2018, fruto do acordo firmado com o governo passado durante a última greve, deverá ser paga até esta sexta-feira (08). Já o 1/3 de férias de quem não recebeu no salário deste mês deverá vir, segundo o governo, agora na folha de fevereiro.

A coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, disse que o Sindicato seguirá vigilante: “Vamos seguir acompanhando e cobrando do governo que a promessa que foi feita, a partir das informações que nos foram passadas, seja devidamente cumprida”.

06 fevereiro 2019

Fátima destaca cessão onerosa durante Encontro dos Governadores do NE


A governadora Fátima Bezerra participou, nesta quarta-feira (6), em Brasília, do Encontro de governadores do Nordeste. O objetivo foi discutir pautas em comum com os demais estados, como a regulação da cessão onerosa, previdência, segurança e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

“Quero reforçar aqui, no que diz respeito à agenda legislativa, a precisão de agilizar a aprovação dos excedentes que tratam da cessão onerosa. A crise fiscal por que passa o RN é tão forte que nos levou a decretar calamidade financeira, por isso a necessidade imperiosa de os estados terem receitas extras e o projeto da lei que trata da cessão onerosa possibilitará exatamente isso”, destacou a governadora durante a reunião.

A cessão onerosa trata de um contrato, firmado em 2010, em que o governo cedeu parte da área de exploração do pré-sal à Petrobras, que obteve o direito de explorar cinco bilhões de barris por dia. Com a descoberta de volume maior de petróleo na área, o governo irá vender o excedente. Os estados e municípios cobram a repartição da receita, conforme regra da Constituição Federal de partilha.

Outro ponto enfatizado por Fátima foi o Fundeb. De acordo com a chefe do Executivo é urgente discutir essa pauta para que não somente haja prorrogação do Fundo, uma vez que o fim trará grandes danos a todos os estados do Nordeste, como também a criação de um novo com uma participação financeira maior junto aos municípios, sobretudo para que os gestores do Norte e Nordeste possam dar prosseguimento às ações. “Sairemos daqui com um calendário: vamos dialogar com a Câmara, líderes da bancada, prefeitos e com a frente nacional dos prefeitos. Reitero ainda que não vamos concordar com qualquer reforma da previdência que venha a tratar os desiguais como iguais”, declarou ao enfatizar que o debate se faz necessário para corrigir distorções e injustiças sociais.

Para Flávio Dino, governador do Maranhão, os governadores reconhecem a importância da reforma da previdência. “Achamos positivo que esse tema seja priorizado e queremos debatê-lo no congresso. Mas alertamos com relação aos pontos atinentes à preservação dos direitos dos mais pobres do campo e da cidade para que sejam melhor debatidos. Consideramos que o déficit tem que ser naturalmente enfrentado, mas não devem ser os mais frágeis a pagar a conta”, afirmou.

Relativo à segurança, os governadores consideram que o Pacote Anticrime, recém apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, atende aos pleitos referentes ao tema, mas entendem que este ainda é insuficiente. “Apresentamos ao ministro a necessidade de que os temas que vinham sendo trabalhados no governo anterior sejam melhor encaminhados, tais como o fundo único da segurança pública, do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), o controle dos explosivos, do tráfico internacional de armas, fronteiras, temas que geralmente impactam no dia a dia da segurança pública. Também apresentamos uma reivindicação: que seja construída uma penitenciária federal em cada estado brasileiro para garantir uma solução prática para a superpopulação do sistema carcerário”, alegou o governador do Maranhão.

Ao final, os governadores do Nordeste assinaram a carta com as manifestações em comum para ser enviada ao Governo Federal. O próximo fórum dos governadores ocorrerá em março, no Maranhão.

Confira a Carta dos Governadores do Nordeste.

SINTE/RN realiza Jornada Pedagógica da Rede Estadual

O SINTE/RN vai promover, no dia 13 de fevereiro, uma Jornada Pedagógica voltada para a Rede Estadual de Ensino. A Jornada acontecerá no Auditório da sede estadual do Sindicato, a partir das 8h. Podem participar professores, especialistas em educação e funcionários da Rede Estadual.

Para se inscrever, clique AQUI.

A Jornada terá os seguintes temas:

# Conjuntura: Perspectivas e Consequências nas Políticas Públicas Sociais e na Educação - Palestrante: Valter Pomar (Dirigente da CUT Brasil e Professor na Universidade Federal do ABC e Doutor na Universidade de São Paulo);

# Concepção, Limites e Desafios da BNCC para a Educação Básica - Palestrante: Dante (Professor e Doutor no IFRN);

# Os Impactos da Previdência na Vida dos/as Trabalhadores, em Especial da Educação - Palestrante: Rivânia Moura (Professora e Presidenta da Aduern);

# Implicações do Financiamento da Educação Para o Fundeb Permanente - Palestrante: Hudson Guimarães (Professor e Assessor Parlamentar). 


03 fevereiro 2019

Terça (05) tem Ato Unificado em prol dos salários atrasados e o calendário de pagamento de 2019

O Fórum Estadual dos Servidores está encampando um Ato Público Unificado para exigir o pagamento dos salários atrasados e a apresentação do calendário de pagamento do funcionalismo para 2019. A atividade acontecerá nesta terça-feira (05/02), às 08h30, na Governadoria, no Centro Administrativo de Natal.

Uma audiência entre o Fórum e o Governo do Estado já está marcada para o mesmo dia, às 11:00. Na ocasião, os sindicatos vão dar sequência ao diálogo com o Executivo estadual, que iniciou nos primeiros dias de janeiro, acerca das demandas do funcionalismo. 

01 fevereiro 2019

Governadora entrega a deputados 1º projeto de recuperação fiscal


A governadora Fátima Bezerra disse nesta sexta-feira, 01, acreditar no espírito público e no comprometimento com a população do Rio Grande do Norte dos 24 deputados estaduais que tomaram posse na Assembleia Legislativa para cumprir mandato nos próximos quatro anos. "Acredito no espírito público dos nossos parlamentares para aprovar as medidas que o Governo está propondo e que irão beneficiar tanto os servidores públicos que estão com quatro folhas de pagamento em atraso, e com os fornecedores que são credores de mais de R$ 1 bilhão", afirmou Fátima Bezerra.

A governadora entregou pessoalmente aos deputados o primeiro projeto de Lei do Plano de Recuperação Fiscal. O projeto solicita aprovação da Assembleia Legislativa para o Governo negociar a antecipação dos royalties do petróleo no período 2019 a 2022. “Estamos solicitando a antecipação dentro do período da nossa gestão. Também pleiteamos que os deputados autorizem o Governo a negociar com os bancos públicos e com os bancos privados, isto para que possamos obter as melhores condições”, explicou Fátima Bezerra.

Ela reforçou aos deputados que “o nosso governo é do diálogo. Desde o primeiro dia estamos tratando com os poderes Legislativo e Judiciário, as classes empresariais e com os servidores, sobre as medidas necessárias para o equilíbrio financeiro. O desafio é muito grande, mas a disposição que temos de enfrentá-lo é ainda maior”.

Os recursos da antecipação dos royalties serão utilizados pagar pensionistas e aposentados. Esta medida vai contribuir muito para atualização dos salários de todos os servidores.

Na próxima semana o Governo do Estado envia à Assembleia Legislativa os demais projetos de Lei com medidas do Plano de Recuperação Fiscal que representam ações urgentes e necessárias para fazer com que as despesas do estado se enquadrem dentro das receitas.

“Ressalto que o nosso governo é do diálogo, da transigência, do entendimento com toda a sociedade. Isso fizemos já nestes primeiros 30 dias na administração e vamos continuar fazendo durante a gestão.

O nosso foco principal é equilibrar as contas do estado e assegurar o crescimento sustentável, respeitando direitos e promovendo a cidadania. Por isso insistimos num relacionamento pautado na harmonia, no diálogo franco e no respeito junto aos poderes constituídos e ao conjunto da sociedade”.

A governadora ainda parabenizou o deputado Ezequiel Ferreira por sua eleição para presidir a Assembleia Legislativa nos próximos dois biênios.

SINTE/RN convoca categoria para ato público por calendário de pagamento e salários atrasados

O SINTE/RN e demais sindicatos que compõem o Fórum Estadual dos Servidores estão organizando um ato público para o próximo dia 05 de fevereiro (terça-feira), a partir das 8h30, na Governadoria, no Centro Administrativo de Natal. Na pauta, o pagamento dos salários atrasados e o calendário de pagamento para 2019.

Nessa quarta (30) os sindicatos se reuniram mais uma vez com o governo do Estado para tratar das pendências do Executivo para com o Funcionalismo. Nesta quinta (31) o governo cumpriu a promessa de concluir o pagamento dos salários de janeiro e 1/3 de férias. Mas o sindicatos mantém a pressão pelo pagamento do restante da dívida. Veja a seguir algumas das questões levantadas pelos dirigentes sindicais e as respectivas respostas do governo:

1 – Entrada de recursos extras para pagamento dos atrasados

O governo respondeu que não tem previsão de entrada dos recursos da venda da Conta Corrente do Estado e antecipação dos royalties de 2019. As negociações com o Banco do Brasil não avançaram. O Governo já enviou carta ao BB, informado que abrirá conversações com bancos privados.

2 – Retroativo das parcelas do Piso de 2018

Deverá sair em Folha Suplementar até o dia 10 de fevereiro.

3 – O reajuste do piso de 4,17%

O Governo reconhece que o pagamento deve ser retroativo a janeiro e que vai enviar Projeto de Lei tão logo se inicie os trabalhos na Assembleia Legislativa. Sendo aprovado, o pagamento será feito dentro do mês.

4 – Pagamento de atrasados

O governo reafirma que não haverá calote com relação aos valores em atraso. Haverá nova audiência dia 05/02, para tratar dos salários de fevereiro.

Segundo a coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, a prioridade de luta agora é o pagamento dos atrasados e o calendário de pagamento de 2019. “Estamos convidando todas as categorias de servidores para se fazerem presentes ao ato público do dia 05, para pressionar por uma resposta concreta durante a audiência que já está agendada.”, ressaltou.

31 janeiro 2019

Professores das universidades oferecem apoio voluntário ao Governo


Professores das universidades estadual e federal do RN (UERN e UFRN), do Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFRN) e do Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy (IFESP) entregaram nesta quinta-feira, 31, carta oferecendo, de forma voluntária, serviços de pesquisa, consultoria, análises e avaliações ao Governo do Estado.

A governadora Fátima Bezerra disse que a iniciativa dos professores “expressa a participação popular e é isso que queremos para desenvolver o Estado com sustentabilidade, com garantia de direitos e cidadania à população”.

Fátima considerou a reunião, no auditório da Governadoria, como o primeiro passo para a concretização do Fórum de Diálogo com a Sociedade, que será instituído em breve pela administração. “O Governo tem que ter canais de diálogo, de discussão permanente com a sociedade e já instituímos o Fórum Permanente de discussão com os Servidores”, registrou a Governadora.

O professor Deusimar Freire Brasil, do Centro de Biociências da UFRN, explicou que “a intenção é oferecer à administração estadual voluntariamente assessoria e apoio multisetorial. Hoje temos aproximadamente cem professores interessados em oferecer esta participação ao Governo da professora Fátima Bezerra que em sua vida parlamentar sempre se dedicou à educação”, declarou.

A professora do IFRN de Parnamirim, Aparecida Fernandes, disse que as unidades de educação superior possuem vasto trabalho de pesquisa e extensão que podem servir às políticas públicas. “Podemos, por exemplo, contribuir muito para melhorar o índice de desenvolvimento da educação que hoje é muito baixo em nosso Estado”, sugeriu.

Os professores das universidades também se dispõem a formular e desenvolver projetos, pesquisas, trabalhos de extensão promovendo a aproximação das instituições à sociedade, incentivando a vivência no dia a dia das pessoas.

“A defesa das políticas públicas é um desafio para todos nós. Precisamos valorizar a cidadania, desenvolver o Estado aproveitando todo o seu potencial nas diversas áreas econômicas. O conhecimento das nossas universidades pode e deve contribuir para isto, o que vai refletir também na formação de profissionais com maior e melhor interação com toda a sociedade”, finalizou Fátima Bezerra.

Além da governadora, os professores, especialistas, mestres e doutores das instituições de ensino superior no RN foram recebidos pelo vice-governador Antenor Roberto, pelos secretários de Estado da Educação, Getúlio Marques, da Saúde, Cipriano Maia, do Planejamento e Finanças, Aldemir Freire, da Tributação, Carlos Eduardo Xavier, da Administração, Virgínia Ferreira, da Regularização Fundiária e Apoio à Reforma Agrária, Alexandre de Oliveira Lima, da Sethas, Iris Oliveira, e pela presidente da Fapern (Fundação de Pesquisa e ensino do RN), Shirley Freitas. Os deputados Fernando Mineiro, Isolda Dantas e Francisco Medeiros também participaram da audiência.

30 janeiro 2019

TENSÃO NA VENEZUELA: Chegada de avião de passageiros da Rússia alimenta rumores em Caracas

Reuters - A chegada incomum de um avião de passageiros da Rússia a Caracas desencadeou rumores nas redes sociais a respeito de sua missão, uma vez que o Kremlin prometeu acudir o aliado presidente venezuelano, Nicolás Maduro, diante de um esforço apoiado pelos Estados Unidos para tirá-lo do poder.

O Boeing 777, que acomoda até 400 passageiros e pertence à empresa aérea russa Nordwind Airlines, foi posicionado em um espaço particular do aeroporto depois de voar diretamente de Moscou, de acordo com dados de monitoramento de voo e fotos da Reuters.

O mesmo avião voou de Moscou a Caracas no dia 3 de dezembro, mostraram os dados, coincidindo com quando Maduro viajou à Rússia para se reunir com o presidente russo, Vladimir Putin.

Nem a Nordwind nem o governo venezuelano responderam de imediato a um pedido de comentário sobre a razão do voo para Caracas.

As redes sociais da Venezuela ficaram repletas de teorias — que a aeronave levava mercenários, estava lá para escoltar Maduro ao exílio ou estava carregada de ouro. Nenhuma das teorias se baseou em indícios concretos, mas a especulação febril é um termômetro do clima de incerteza no país agora que Maduro sofre pressões internacionais sem precedentes para renunciar.

Na semana passada a Reuters noticiou que agentes militares privados que realizam missões secretas para Moscou voaram para a Venezuela para reforçar a segurança de Maduro, tendo em vista os protestos em massa da oposição naquela mesma semana, segundo pessoas próximas aos russos.

O avião que está em Caracas normalmente voa entre a Rússia e o sudeste asiático, e não há registro de que já tenha ido antes à Venezuela, de acordo com dados de voo disponíveis ao público. Nem a Nordwind nem outras linhas aéreas comerciais oferecem voos Moscou-Caracas diretos.

O jornal russo Novaya Gazeta noticiou que a aeronave partiu com dois tripulantes e nenhum passageiro.

Maduro afirma estar lidando com uma tentativa de golpe endossada por Washington e liderada pelo líder opositor Juan Guaidó, que na semana passada se proclamou presidente e foi reconhecido pelos EUA como o chefe de Estado legítimo da nação.

A Rússia acusou o governo do presidente norte-americano, Donald Trump, de tentar usurpar o poder da Venezuela e desaconselhou uma intervenção militar. Na terça-feira o Kremlin repudiou as novas sanções dos EUA ao vital setor petrolífero venezuelano, que viu como uma interferência ilegal nos assuntos do país-membro da Opep.

25 janeiro 2019

VOLTA MOBRAL! Novo presidente do INEP comete erro de português e vira chacota na internet

247 - Os erros de português cometidos pelo novo diretor-presidente do Inep, Marcus Vinícius Carvalho Rodrigues, durante sua posse nesta quinta-feira (24), não passaram batidos pelos internautas. Ele, que chefiará o instituto ligado ao Ministério da Educação e que será responsável pela elaboração do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), disse que a prova será eficaz na formação de "cidadões".


Confira a repercussão nas redes sociais:


Bono Vox sobre Bolsonaro: não vamos nem começar

FOLHA - O cantor Bono, da banda U2, desconversou nesta quinta-feira (24) ao ser questionado, na porta de um hotel em Davos, sobre o governo Bolsonaro.

"Não vamos nem começar porque senão não vou parar nunca", disse o irlandês, depois de tirar selfies com jornalistas no hall do hotel em que está hospedada a comitiva brasileira.

Ele foi à cidade suíça, onde acontece o Fórum Econômico Mundial, participar de um almoço promovido pelo jornal Washington Post durante a programação paralela do evento.

Mais um vexame na goiabeira: Damares vira piada ao dizer que na Holanda "pais masturbam bebês"

"Na Holanda os especialistas, que fizeram não sei quantas universidades, ensinam que o menino deve ser masturbado com sete meses de idade, para quando chegar na fase adulta possa ser um homem saudável sexualmente, e a menina precisa ter a vagina manipulada desde cedo para que ela tenha prazer na fase adulta", disse Damares


247 - Além do fiasco da participação de Bolsonaro no Fórum Mundial de Davos, na Suíça, jornais holandeses repercutem um vídeo em que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirma que "na Holanda, os pais são orientados a masturbar bebês meninos a partir dos 7 meses e a manipular a vagina das meninas", aumentando a imagem negativa do novo governo.

Dois dos maiores jornais da Holanda, o Telegraaf e o RTL Nieuws, procuraram a ministra para que ela se explicasse, mas informaram que não obtiveram resposta.

O Telegraaf afirma: "Ministra brasileira conta fábulas sexuais sobre a Holanda". Em tom de indignação, o jornal diz que Damares tem idéias peculiares sobre a Holanda. A afirmação é feita a partir de um discurso em vídeo gravado em 2013, em que a ministra afirma que especialistas holandeses dizem que 'um menino a partir dos sete meses de idade deve estar sexualmente satisfeito, para que ele possa ser um homem sexualmente saudável quando adulto'".

Ela diz que o mesmo conselho se aplica às meninas. "'Especialistas' da Holanda estariam recomendando que 'a vagina de uma menina deve ser estimulada desde cedo para que ela possa sentir prazer quando adulta'", destaca a matéria, enfatizando que Damares atua como pastora evangélica e "tem idéias conservadoras originais".

"Alves fez suas declarações sobre a Holanda quase seis anos atrás, durante uma reunião religiosa. As gravações podem ser encontradas na internet. Em seu discurso, Alves queria alertar sobre os efeitos desastrosos, aos seus olhos, do governo do Partido Trabalhista de esquerda no Brasil", aponta o jornal, reforçando que, de acordo com a ministra, "o Partido Trabalhista influenciou as idéias dos especialistas holandeses", diz outro trecho da matéria.

O Telegraaf lembrou ainda que durante a campanha, Bolsonaro e seus apoiadores divulgaram fake news alegando "erroneamente que um chamado 'kit gay' foi distribuído nas escolas, contendo uma mamadeira em forma de pênis e um livro de informações com imagens rotuladas como pornográficas por brasileiros conservadores". [LEIA AQUI]


A RTL Nieuws também repercutiu e cobrou uma posição de Damares. "Uma ministra do Brasil parece ter uma imagem bastante estranha da Holanda. Damares Alves disse há alguns anos que aqui é recomendável satisfazer os meninos a partir dos sete meses de idade... A conservadora Alves disse no passado que a religião deve novamente desempenhar um papel maior nas escolas", destaca a reportagem. [LEIA AQUI]

O veículo também enfatiza que Damares não é a única na equipe de "notáveis" prometida por Bolsonaro, a fazer declarações controversas. "O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, por exemplo, afirma que a mudança climática é uma conspiração de esquerda "para sufocar o crescimento econômico dos países democráticos capitalistas e promover o crescimento da China", pontua o jornal.



24 janeiro 2019

Contracheque dos educadores de Natal já contém Piso, Letras e Carga Suplementar

Valeu a luta.  Já está no contracheque de janeiro dos educadores e educadoras da capital, o reajuste de 4,7% referente ao Piso, as promoções de Letras com efeito retroativo a dezembro de 2018 e a Carga Suplementar para quem não vinha recebendo desde junho de 2018.

Para chegar a esse desfecho a direção do SINTE/RN marcou presença constante nos órgãos responsáveis da prefeitura de Natal. Audiência, consultas pessoais e telefônicas da diretoria deram o tom da pressão do Sindicato nesses últimos dias.

O contracheque chegou a ser publicado sem os direitos. Mas a ação do Sindicato levou a prefeitura a reconhecer o erro e retirar o contracheque do sistema para ser retificado.

O resultado nas contas bancárias da categoria é fruto da última greve que se soma a pressão atual iniciada em audiência com a Secretaria Adjunta de Educação.  Para garantir a pressão constante visando o cumprimento do compromisso, o SINTE/RN destacou as diretoras do Sindicato Jucyana Myrna, Thelma Farias, Gidália Andrade, Marlene Moura e o diretor Fernando Fernandes.

Quanto mais mexe, mais fede: O filhote de Bolsonaro ocupou cargo na Câmara dos Deputados enquanto fazia faculdade e estágio no Rio

Entre 2000 e 2002, Flávio Bolsonaro, então com 19 anos, acumulou três ocupações em duas cidades diferentes: faculdade presencial diária de Direito e estágio voluntário duas vezes por semana no Rio de Janeiro, e um cargo de 40 horas semanais na Câmara dos Deputados, em Brasília.


O EXTRA - O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) conciliou, entre dezembro de 2000 e junho de 2002, o curso da faculdade de Direito da Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, um estágio na Defensoria Pública do estado e também um cargo na liderança do PPB — antiga denominação do PP — na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Segundo reportagem publicada pela BBC News Brasil, Flávio ocupou um cargo de 40 horas semanais na Câmara, onde o trabalho era presencial, ao mesmo tempo em que se dedicava às outras ocupações no Rio. Procurada pelo EXTRA, a Câmara dos Deputados confirmou que Flávio foi funcionário da liderança do PPB, então partido de seu pai, Jair Bolsonaro, quando este exercia o terceiro mandato como deputado federal.

A Câmara não informou quanto Flávio recebeu pelo posto de “assistente técnico de gabinete”, mas o montante consta da declaração de Imposto de Renda dele fornecido à Justiça Eleitoral.

Em 2002, ao se candidatar à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Flávio declarou ter recebido, em 2001, R$ 4.712 por mês por desempenhar a função.

O curso na Cândido Mendes e o estágio na Defensoria são informados pelo parlamentar na rede social LinkedIn e no site da Alerj. Não há, entretanto, referência à passagem pela liderança do PPB em ambas as publicações.

O EXTRA procurou Flávio Bolsonaro para falar sobre o assunto, mas a assessoria de imprensa do parlamentar afirmou que ele prefere não se manifestar. O senador eleito também não quis falar com a BBC.

CLIQUE AQUI e veja mais informações no site da BBC News.

22 janeiro 2019

Folha mapeia a mina de lucros de Flávio Bolsonaro


O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) construiu seu patrimônio antes de se declarar empresário, de acordo com informações cartoriais, da Justiça Eleitoral e da Junta Comercial do Rio de Janeiro.

O ainda deputado estadual é sócio da Bolsotini Chocolates e Café Ltda, uma franquia da Kopenhagen no Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

De acordo com a Receita Federal, a empresa foi aberta em 7 de janeiro de 2015 e tem mais um sócio.

Essa foi a única atividade empresarial que o senador eleito declarou em toda a sua trajetória política, desde 2002.

Fabrício Queiroz, ex-motorista do deputado estadual, é investigado sob suspeita de ser o pivô de um esquema ilegal de arrecadação de parte dos salários de servidores do gabinete, prática conhecida como rachadinha.

A partir da investigação, o Ministério Público do Rio solicitou ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) relatório sobre as contas de Flávio. O levantamento apontou 48 depósitos de R$ 2.000para o deputado entre junho e julho de 2017.

Em entrevista à TV Record no domingo (20), o filho do presidente Jair Bolsonaro afirmou que tentam de "forma baixa" insinuar que a origem de seu dinheiro tem a ver com ex-assessores de seu gabinete.

"Não tem. Explico mais uma vez. Sou empresário, o que ganho na minha empresa é muito mais do que como deputado. Não vivo só do salário de deputado", afirmou o senador eleito.

Como mostrou a Folha no ano passado, Flávio fez pelo menos 20 transações imobiliárias em 14 anos, entre compras, vendas e permutas.

A maior parte das aquisições ocorreu antes de 2015, segundo dados de cartório. Em alguns casos, o parlamentar fez dívidas e só as quitou depois, quando já tinha a loja.

Segundo a assessoria da Kopenhagen, "o retorno do investimento aplicado ocorre de dois a três anos após o início das atividades". Ou seja, no caso de Flávio, só começaria a ocorrer em 2017 ou 2018.

Folha apurou com pessoas familiarizadas com esse tipo de franquia que o faturamento bruto (não descontados os impostos e outras despesas) é de cerca de R$ 60 mil ao mês. A Kopenhagen não divulga faturamento de seus franqueados.

A Folha perguntou a Flávio se ele exerce mais algum trabalho além da sociedade na filial de chocolates e o mandato. A assessoria informou que ele não se manifestaria.

Uma reportagem da revista Piauí, de setembro de 2016, relata que o deputado estadual entregou um cartão de sua filial na Barra da Tijuca e chamou a atividade de plano B.

"A gente nunca sabe quanto tempo vai permanecer na política e é importante ter um plano B", afirmou.

Atualmente, o salário de um deputado estadual do Rio é de R$ 25,3 mil brutos.

Na última declaração de bens, de 2018, Flávio disse ter R$ 1,74 milhão — considerando o fato de que ele diz ser dono de apenas 50% dos imóveis, já que é casado em regime de separação de bens.

Ele entrou na vida política em 2002, com apenas um carro Gol 1.0, declarado por R$ 25,5 mil.

Entre 2012 e 2014, Flávio teve uma intensa movimentação imobiliária.

Suas duas últimas grandes aquisições, um apartamento no bairro de Laranjeiras e outro na Barra da Tijuca, no Rio, ocorreram antes de 2015.

Os dois imóveis foram registrados ao custo de R$ 4,2 milhões. Nos dois casos, o filho de Bolsonaro pediu empréstimos, um na Caixa e outro no Itaú, respectivamente.

Segundo a versão de Flávio, a dívida de R$ 1 milhão com a Caixa foi quitada em 2017.

Valor aproximado foi detectado em um segundo relatório do Coaf, divulgado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, sobre movimentações atípicas na conta do filho do presidente.

Segundo a reportagem, o órgão não identificou a data exata e o beneficiário.

Flávio não explicou a origem do dinheiro pago à Caixa.

Após 2015, documentos de cartório mostram que houve apenas uma permuta feita por Flávio e uma venda. Ele se desfez do imóvel das Laranjeiras, em troca de um na Urca e também de uma sala comercial na Barra, bairros do Rio de Janeiro. O parlamentar ainda recebeu um valor de R$ 600 mil na operação. Em maio 2018, o apartamento da Urca foi vendido, por R$ 1,1 milhão.

Além de dizer que o retorno de investimento demora entre dois e três anos para ocorrer, a Kopenhagen informou ainda que para aquisição de uma franquia nos moldes da do filho do presidente da República é cobrada uma taxa de R$ 45 mil, além de investimento de R$ 350 mil, mais R$ 100 mil de capital de giro.

A Folha enviou no começo da tarde desta segunda (21) cinco perguntas para a assessoria de Flávio.

Além de questionar se há outra atividade desempenhada pelo parlamentar, a reportagem perguntou o valor do lucro líquido da loja, se ele teve alguma fonte de renda antes de 2015 que auxiliou nas aquisições e a origem do R$ 1 milhão utilizado para quitar o empréstimo com a Caixa.

Ele disse que não iria se manifestar.