10 dezembro 2018

Detran prioriza segurança dos turistas em blitz direcionada a bugueiros


O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) realizou no sábado (08) uma grande blitz tendo como objetivo principal o zelo pela segurança dos turistas que utilizam os serviços de buggy turismo no Estado. A fiscalização montada na Via Costeira envolveu técnicos do Detran e policiais rodoviários estaduais, que focaram na ação veículos e condutores de buggys.

A fiscalização priorizou o horário em que o sistema de buggy turismo sai dos hotéis levando os turistas para os passeios. Os técnicos do Detran abordaram cerca de 50 buggys, que foram minuciosamente fiscalizados pelos agentes, que checaram a habilitação completa dos condutores e a documentação dos automóveis, como também a situação de segurança dos veículos.

A ação resultou no registro de seis autos de infração por motivos diversos, entre eles um motorista de buggy turismo teve a CNH retida pela equipe de fiscalização. O documento de habilitação estava vencido, o que impossibilita o motorista de conduzir veículo automotor. Outros três bugueiros flagrados com débitos em abertos realizaram o pagamento das taxas via aplicativo de celular para serem liberados pelos agentes.

Dos documentos exigidos aos condutores estão a credencial da Secretaria de Turismo (Setur), crachá, alvará de licença, seguro dos bugueiros, documento do carro (CRLV) e Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O condutor que for flagrado pela equipe, que não obedeça às exigências citadas, recebe no ato uma notificação. “Nossa intenção é zelar pela segurança dos turistas que visitam o Rio Grande do Norte, como também combater o transporte clandestino feito por pessoas não credenciadas”, acrescentou o diretor geral do Detran, Eduardo Machado.

A blitz também serviu para alertar os bugueiros sobre a proibição de circular com veículos na faixa de praia definida pela Portaria 711/2007 do Detran/RN, que regulamenta o acesso às praias de uso público do Rio Grande do Norte, indicando trechos com acesso permitido e proibido. Como exemplo, durante o período de alta estação, todo e qualquer veículo é proibido de circular em praias como Via Costeira, Ponta Negra, Pirangi do Norte e do Sul, Búzios, Tabatinga, Tibau do Sul e Pipa.

Nessa situação, o motorista infrator é autuado no artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), sendo a infração de natureza média, com perda de quatro pontos na CNH e multa no valor de R$ 130,16, podendo o veículo ser apreendido, caso o condutor não respeite a determinação do agente de retirada do automóvel da área proibida de circulação.

Acesso ao Centro Administrativo é alterado com novo portão da Raimundo Chaves


O acesso de pedestres e veículos ao Centro Administrativo do Estado será modificado a partir de segunda-feira, dia 10, com a reabertura do portão da Rua Raimundo Chaves, em Lagoa Nova. O local estava fechado para adequação e melhoria na acessibilidade e segurança. Com isso, o portão próximo à Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação, e da Assistência Social (SETHAS), que liga o Centro Administrativo à via marginal da Arena das Dunas, ficará fechado.

A partir de segunda-feira, dia 12, a entrada e saída do Centro Administrativo será realizada pelo pórtico principal, na marginal da BR-101, que funcionará 24h, ou pelo Portão da Rua Raimundo Chaves, que estará aberto entre 6h30 e 18h30, em dias úteis.

07 dezembro 2018

Viagem em jatinho tirou pasta de senador Magno Malta

Malta saiu da lista de ministeriáveis após Jair Bolsonaro receber informações de que ele viajou em aeronave sem informar a Justiça Eleitoral


O presidente eleito, Jair Bolsonaro, decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador e candidato derrotado à reeleição Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL e, até mesmo, usar sua proximidade para defender nomes que poderiam compor um eventual governo.

Chegou ao conhecimento do futuro chefe do Executivo nacional que Maggi teria colocado à disposição de Malta um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda aberto sua fazenda para encontro com ruralistas.

Em conversas com aliados, Bolsonaro chegou a avaliar também uma entrevista dada pelo cobrador Luiz Alves de Lima, de Vitória, que foi preso e sofreu tortura depois de ser acusado de pedofilia por Malta em 2010. Anos depois, a Justiça absolveu Alves. Na quarta-feira (5/12), o presidente eleito disse que o perfil do senador “não se enquadrou” no futuro ministério, mas que o parlamentar ainda poderia estar “em outra função”.Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE. O senador disse ter gasto na campanha R$ 163 mil em veículos, R$ 50 mil em combustível e R$ 273 mil em carros de som. Para a reportagem, o político informou que não participou “da negociação, contratação e pagamento de aeronave”. Segundo a assessoria do parlamentar, a aeronave foi contratada pelo Podemos de Mato Grosso.

A relação de Bolsonaro e Malta era próxima até o resultado do segundo turno das eleições. O senador chegou a receber o convite de Bolsonaro para fazer uma oração de agradecimento pela vitória nas urnas.

A família do presidente eleito, porém, reclamava que Malta não teve sensibilidade ao entrar no quarto em que Bolsonaro estava internado – após ter sido vítima do atentado a facadas – para fazer imagens. Numa das fotos, quem aparece ao lado de Bolsonaro é Maggi, levado pelo senador. Foi quando começou a circular a possibilidade de o deputado e candidato derrotado ao Senado Adilton Sachetti (PRB-MT) assumir a pasta da Agricultura num eventual governo. Próximo a Maggi, Sachetti era um nome negociado por Malta para o ministério sem aval de Bolsonaro.

Moro arquitetou em 2005 plano para prender Lula, revela Onyx


Por Jeferson Miola - Em entrevista a Roberto D’Avila/Globo News, Onyx Lorenzoni revelou que Moro arquitetou o plano para prender Lula ainda em 2005, depois de frustrada a primeira tentativa durante o processo do chamado mensalão.

Naquele mesmo ano, no bojo da conspiração para derrubar o primeiro governo Lula, o oligarca Jorge Bornhausen, então presidente do PFL [atual DEM, partido do Onyx], fez a célebre declaração genocida, defendendo a “eliminação dessa raça [dos petistas] do país pelos próximos 30 anos”.

Deixando transparecer orgulho da amizade antiga com Moro, na entrevista Onyx acabou fazendo 1 confidência que tem o efeito de 1 bomba nuclear:

“A minha relação com Sérgio Moro vem de dezembro de 2005. Eu era sub-relator das Normas de Combate à Corrupção da CPI dos Correios, e convidei o Moro […] naquela época porque a 13ª Vara de Curitiba era – e continua sendo – a única que cuida de lavagem de dinheiro no Brasil”.

Onyx explica que

“aí ele [Moro] trouxe 1 série de contribuições e 2 muito relevantes, que o pessoal de casa vai entender agora: a primeira que ele pediu, em 2005, foi a atualização da Lei de delação premiada, que levou 7 anos pra fazer. A outra [contribuição], a transformação do crime de lavagem de dinheiro de crime acessório para crime principal”.
[…]

“Os 2 fatores – a lavagem de dinheiro como crime principal, e a revisão da lei de delação premiada – foram a diferença entre no ‘mensalão’ não ter chego no Lula, e no ‘petrolão’ ter chegado no Lula”  [assistir entrevista aqui, a partir do minuto 6:50].

O chefe da casa civil do Bolsonaro trouxe à tona a estratégia política e partidária montada pelo Moro para levar a efeito o plano de perseguição e de prisão do Lula, arquitetado muito tempo atrás.


Conforme revelado, o juiz e o deputado, juntos, arquitetaram a subversão do arcabouço legal do país para concretizar o plano jurídico-político para atingir Lula.

A lei do crime de lavagem de dinheiro foi alterada em 2012, governo Dilma; e a Lei de Organização Criminosa, de 2013, que abarca a “colaboração premiada” teve, ironicamente, como autora a senadora petista Serys Slhessarenko e foi sancionada pela Presidente Dilma.

O planejamento da dupla foi exitoso. O resultado, materializado 13 anos depois, é o confinamento e silenciamento do Lula numa cela solitária e seu banimento do processo eleitoral para impedir sua eleição presidencial, tida como líquida e certa.

Neste momento em que a 2ª turma do STF julga a parcialidade de Sérgio Moro pelos arbítrios perpetrados contra Lula na farsa jurídica para levá-lo à prisão política, a revelação o Onyx invalida totalmente a “heterodoxa” defesa [ler aqui] que Luiz Fachin e Carmen Lúcia fazem do ex-juiz.

A perseguição do Moro e da Globo/Lava Jato ao Lula está fartamente documentada.

Moro sempre foi um juiz posicionado politicamente.

Ele aparelhou o judiciário para perseguir e destruir seu principal inimigo político.

Moro foi de tal modo incontinente no afã de prender o ex-presidente que, inclusive, colocou em risco o próprio cargo de juiz.

Se praticasse essas barbaridades na pátria para a qual bate continência, tal como o clã bolsonarista, ele não só perderia o cargo, como estaria sujeito à condenação à prisão perpétua.

A amizade antiga explica a candura do Moro em relação à prática de caixa 2 do Onyx, que recebeu R$ 200 mil da Odebrecht.

Na interpretação livre de Maquiavel, Moro dedica aos amigos os favores; a Lula e aos petistas, o direito penal do inimigo.

SUPERAÇÃO: Haitiana cega recebe carteira da OAB-DF e diz: “Meu sonho é ser juíza”

Sobrevivente de dois terremotos no Haiti, Nadine Taleis, 35 anos, se tornou advogada, quer trabalhar na área e passar em concurso da AGU


As dificuldades enfrentadas por Nadine Taleis, 35 anos, não foram suficientes para que ela desistisse dos estudos. Agora, ela colhe os frutos de sua dedicação, disciplina e amor aos livros. Cega, a haitiana se tornou advogada. Na manhã desta sexta-feira (7/12), recebeu a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal (OAB-DF). Durante a cerimônia, anunciou: “Meu sonho é ser juíza”.
Emocionada, Nadine disse estar muito feliz. ”Parece que eu estou em um sonho. Quando cheguei ao Brasil, vivi um pesadelo e agora eu estou acordando”, contou. A advogada sobreviveu a dois terremotos em Porto Príncipe, no Haiti, em 2010. Em seguida, foi morar com os tios na República Dominicana, até decidir se mudar para o Brasil, em 2013.
Ao chegar em terras brasileiras, morou durante três meses em um abrigo improvisado e superlotado para refugiados e imigrantes no Acre. No mesmo ano, veio para o Distrito Federal com o objetivo de estudar e conheceu seus “pais adotivos” – Carlos e Loide Wanderley. Foi acolhida e recebeu a ajuda necessária, inclusive financeira, para se dedicar à faculdade.
Disciplinada, agarrou a chance. “Meu pai haitiano sempre foi muito rígido comigo. Me acordava às 5h para estudar. O dinheiro que a minha mãe dava para eu me alimentar, pagava a faculdade e confesso que, às vezes, cheguei a passar fome porque aplicava toda a quantia nos estudos”, lembrou.
Ela cursou direito na Faculdade Mauá, em Vicente Pires. Conta que pagou as cinco primeiras mensalidades e depois conseguiu uma bolsa integral. Agora, formada e com a carteira da Ordem, planeja fazer concurso para ingressar na Advocacia-Geral da União (AGU). E sonha voos ainda mais altos: ser juíza.
Durante o discurso na OAB-DF, a advogada, que fala cinco línguas (crioula, francês, espanhol, inglês e português) agradeceu aos familiares, amigos e professoras por todo apoio recebido e aproveitou para fazer uma reivindicação: “Precisamos de acessibilidade para que a gente possa colocar a nossa capacidade a favor da sociedade”.
Nadine recebeu do presidente da OAB-DF, Juliano Costa Couto, um certificado de oradora e dois estatutos de direito em braille. “Nadine tem uma deficiência visual, mas uma visão de mundo maior que a de muitas pessoas”, disse o representante da Ordem no DF.
De imediato, ela busca uma oportunidade de trabalhar em um escritório de advocacia. “Quero dar continuidade aos estudos. Sou muito apaixonada pelo direito”, afirmou a advogada, que ficou praticamente cega com 1 ano de idade, em função de uma catarata. Atualmente, tem apenas 15% da visão.

Moro evita comentar suspeitas sobre ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Ex-coordenador da Lava Jato limitou-se a acenar aos jornalistas ao ser questionado sobre as “movimentações atípicas” identificadas pelo Coaf

Indicado a ministro da Justiça e Segurança Pública do próximo governo, Sérgio Moro evitou comentar o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou transações atípicas do policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Questionado nesta sexta-feira (7/12) sobre o caso, o juiz que coordenou a Operação Lava Jato limitou-se a acenar para os jornalistas, se despedindo.

Após entrevista no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede do gabinete de transição, na qual anunciou mais dois nomes de sua equipe no Ministério da Justiça, Moro ouviu as perguntas referentes ao filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre as movimentações entre contas dele e de sua filha, Nathalia Melo de Queiroz.

Entre essas transações está um cheque para a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro,  no valor de R$ 24 mil. Mesmo assim, saiu rapidamente sem responder nenhum outro questionamento.

Volume de chuva das últimas 24h é maior que média de todo o mês de dezembro

Nesses últimos dias está sendo observada a ocorrência de chuvas de forma isoladas nas diversas regiões do Estado, resultado da atuação do sistema meteorológico transiente, típico para a época, conhecido como Vórtice Ciclônico de Ar Superior (VCAS). Esse sistema, teve origem com a presença de uma frente fria sobre o sul da região Nordeste, forçando o ar a ter uma configuração ciclônica, o que causa instabilidades na borda esquerda do sistema, favorecendo a ocorrência de chuvas.

Com a expansão da umidade da região amazônica em direção ao Nordeste, com as águas do oceano Atlântico mais aquecidas próximo do litoral nordestino e a Zona de Convergência Intertropical mais próxima da região, as chuvas têm ocorrido em praticamente toda a região Nordeste e deverão continuar durante a próxima semana. Para o Rio Grande do Norte, destaca-se nessas últimas 24 horas os volumes de chuva nos municípios de Pedro Avelino (60mm, no mês de dezembro inteiro a média de chuva é de 15mm), Luiz Gomes (40mm), Major Sales (24mm).

Lembrando que para o mês de dezembro as médias pluviométricas são: Região Oeste=22,0mm; Região Central=18,3mm; Região Agreste=14,7mm; região Leste=26,3mm.

De acordo com os modelos de previsão do tempo para os próximos dias as chuvas deverão continuar ocorrendo em todas as regiões do Estado, principalmente nas regiões Oeste e Central.

O boletim completo vai estar disponível no fim da manhã, no site da EMPARN (www.emparn.rn.gov.br), e só acessar Chuvas Diárias.

MADRUGADA SANGRENTA: 6 reféns, entre eles 2 crianças, morrem em tentativa de assalto a bancos

Dois suspeitos do crime foram presos, conforme o secretário da Segurança do Ceará. Prefeito de Milagres informou que duas crianças estão entre as vítimas.

Por Gioras Xerez, Germano Ribeiro e Valdir Almeida - G1 CE


Um grupo de criminosos armados e com reféns tentou assaltar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri do Ceará, na madrugada desta sexta-feira (7). Houve intensa troca de tiros e pelo menos 12 pessoas morreram, segundo informou a a Secretaria da Segurança do Ceará. Dois suspeitos de participação na tentativa de assalto foram presos, conforme o secretário da Segurança, delegado André Costa.

A Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) da cidade de Juazeiro do Norte, que recolheu os corpos, havia informado, inicialmente, que 13 pessoas morreram no tiroteio. No entanto, em nota, a Secretaria de Segurança do Estado confirmou 12 óbitos. Um outro suspeito foi ferido durante a troca de tiros e está internado em um hospital da cidade.

De acordo o prefeito de Milagres, Lielson Landim, entre os mortos estão duas crianças, que eram feitas reféns pelo grupo criminoso. No total, seis reféns morreram no confronto, sendo cinco da mesma família, conforme a polícia. Ainda não foram identificados todos os mortos no confronto.

O prefeito de Milagres disse que a família ia para Serra Talhada, em Pernambuco, quando passou por um trecho interditado na rodovia BR-116, na altura da ponte sobre o riacho Tamanduá, e foi sequestrada. A quadrilha utilizou um caminhão para bloquear a via e parar o veículo das vítimas.

Segundo o prefeito, os reféns foram executados pela quadrilha ao serem abordados pela polícia. Entre as vítimas estão um empresário de Serra Talhada e o filho dele. Pai e filho foram até o Ceará buscar três familiares que vinham de São Paulo para passar os festejos de fim de ano em Serra Talhada. O sexto refém morto, ainda não identificado, seria da cidade de Brejo Santo e também foi parado na rodovia.

A tentativa de roubo aconteceu por volta de 02h17 da madrugada. Houve confronto entre os policiais e os criminosos. Diversos carros da PM foram usados para conter a quadrilha. Devido à ação da Polícia Militar, o grupo criminoso não conseguiu levar o dinheiro de nenhum dos estabelecimentos bancários. Os dois bancos ficam na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes.

A Secretaria da Segurança Pública informou que, além dos dois presos, os policiais militares apreenderam uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma arma calibre 12 e explosivos. Três veículos envolvidos na ocorrência, sendo um Celta e duas caminhonetes, foram apreendidos, conforme o órgão.

Trabalho policial

Sobre o ocorrido, o titular da secretário André Costa afirmou que "confia no trabalho da polícia". "É muito difícil você, de longe, fazer um julgamento sobre a ação dos policias lá no meio do tiroteio. Policiais, outras pessoas e cidadãos podem ser alvos dos disparos. Neste momento é muito difícil a gente tá julgando a atuação dos policiais", pontuou.

André Costa acrescentou que um dos suspeitos presos afirmou que a quadrilha atirou nos reféns. "Um dos criminosos presos acabou dizendo que matou pessoas que estavam no local e não eram da quadrilha. Mas toda informação é insuficiente. Vai acontecer o trabalho da perícia e a investigação. Confio muito no trabalho da nossa polícia”, disse André Costa.

Agentes da Perícia Forense do Ceará informaram que dois veículos foram acionados para recolher os corpos e, em seguida, realizar a identificação das pessoas. A Polícia Militar acrescentou que equipes realizam investigações na região, com objetivo de identificar e prender o restante do grupo, que conseguiu fugir.

Durante essas buscas, um homem com um colete balístico foi encontrado morto dentro de uma caminhonete. Ele ainda não foi identificado, mas a polícia suspeita que ele seja um dos assaltantes que tentou fugir.

Serviços suspensos

Após o ocorrido, a Prefeitura de Milagres orientou que os moradores da cidade não saíssem mais das residências. Em nota, a prefeitura comunicou que os serviços públicos foram suspensos nesta sexta-feira.

"A medida é tomada em concordância com as orientações do comando da Polícia Militar, que nesse momento conta com o apoio de helicópteros da Ciopaer e um grande efetivo de policiais que estão em diligência no centro e imediações da cidade, na captura de bandidos que empreenderam fuga nesta manhã. A recomendação é que todos permaneçam em suas casas até que a ordem seja restabelecida", informou.

'Madrugada de horror'

Segundo o comerciante e agricultor Mendonça de Santa Helena, a troca de tiros durou cerca de 20 minutos. “Nunca tinha visto algo parecido. Eu fiquei dentro de casa abaixado e com medo. Ouvi gritaria e pessoas chorando. Foi horrível”, relatou o comerciante.

Ainda segundo Mendonça, depois que o grupo fugiu, deu para perceber que, pelo menos, seis pessoas estavam no chão e apresentando sangramentos. No início do dia, segundo o comerciante, policiais que realizam a segurança da cidade, afirmaram que dez pessoas deram entrada no Hospital Municipal de Milagres, vítimas do tiroteio.

“Um policial afirmou para gente que, pelo menos, dez pessoas estavam no hospital. Pelo menos uns sete já tinham morrido e outros em estado muito grave”, disse.

Rodovia bloqueada

A Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE) solicitou que os motoristas evitassem a rodovia BR-116, que dá acesso à entrada ao município de Milagres. Conforme a PRF, um caminhão foi abandonado pelo grupo na via para impedir o tráfego de veículos.

Uma das alternativas é a CE-384. A polícia confirmou que o bloqueio tem ligação com a tentativa de assalto às agências bancárias da cidade.

2º ataque na madrugada

Ainda durante a madrugada, um outro grupo armado explodiu uma agência bancária no município de Itatira, que fica no Sertão Central do Ceará. Segundo informações da Polícia Militar, cerca de 15 homens participaram do crime. A polícia informou que o grupo estava armado de fuzis, pistolas, espingardas e explodiram a agência por volta da 3 horas.

Segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará, pelo menos 44 ataques contra bancos foram registrados neste ano no Ceará.

Dia 13 tem Assembleia da Rede Estadual para avaliar lutas de 2018 e traçar estratégias para 2019


No dia 13 de dezembro (quinta-feira)  o SINTE/RN vai realizar uma assembleia com os trabalhadores da Rede Estadual de ensino para avaliar as lutas travadas neste ano de 2018 e traçar estratégias para as batalhas de 2019. O encontro da categoria acontecerá às 14h30, na Escola Estadual Winston Churchill, no Centro de Natal.

Na assembleia vai ocorrer a posse dos diretores do SINTE que se encontravam licenciados do Sindicato porque concorreram na eleição deste ano. 

06 dezembro 2018

Ex-chefe de gabinete do Governo do RN que estava foragido é preso em Brasília

Prisão aconteceu em ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) prendeu em Brasília o ex-chefe de Gabinete da Governadoria do Estado Aristides Siqueira Neto. Ele é condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão pelo crime de peculato. Aristides Siqueira foi auxiliar de Fernando Freire quando ele foi vice-governador e governador. Freire está preso há mais de 3 anos.

Aristides Siqueira Neto era considerado foragido e foi localizado após uma denúncia dando conta do paradeiro dele. As informações foram checadas e o MPDFT cumpriu o mandado de prisão na terça-feira (4), com o apoio da Polícia Civil do DF.

Em abril de 2014, Freire e Siqueira foram condenados 6 anos e 6 de reclusão pelo crime de peculato (subtração ou desvio de dinheiro público). O MP do RN apelou da decisão e em 2016 a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado potiguar determinou a ampliação da pena dos dois para 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão. O esquema fraudulento praticado por eles ficou conhecido como a “Máfia dos Gafanhotos”.

Fernando Freire, Aristides Siqueira e outros envolvidos foram condenados por crimes de peculato porque realizaram o desvio de dinheiro público para a concessão fraudulenta de gratificações por meio do pagamento de cheques salário.

No caso investigado pelo MP, Aristides Siqueira atuava como indicador dos beneficiários e como sendo um deles. A movimentação bancária de Aristides em 2002 aponta um elevado número de depósitos recebidos, sempre por meio de cheques ou de dinheiro em espécie.

05 dezembro 2018

“Eu achava que ia ser ministro e não fui”, diz Magno Malta

Braço direito na campanha de Bolsonaro, político não escondeu a decepção por não estar no governo em entrevista ao site The Intercept Brasil

Rafaela Fellicciano/Metrópoles

O senador Magno Malta (PR-ES) não mantinha contato com ninguém desde que se convenceu de que não faria parte do governo de Jair Bolsonaro. O político se isolou em um sítio da família, cercado apenas de pessoas próximas, com celular fora de área. O senador declarou que não pretende mais participar da vida política, apesar de ainda torcer por Bolsonaro e o considerar um amigo. As informações são do site The Intercept Brasil, que entrevistou o senador.

O político também não escondeu a amargura na entrevista: “Você vê muita gente que falava mal dele, não pedia voto, e agora tá aí, se aproximando”. “A autoridade é dele, ele é o presidente deste país. A amizade não vai acabar porque durante dois meses da eleição eu achava que ia ser ministro e eu não fui ministro.” Ao ser questionado se está arrependido de ter ter deixado de lado a própria campanha para se ver hoje fora do governo, ele disse “Não lutei para ter um cargo no governo”, mas “pelo Brasil”.

Como integrante da campanha do presidente eleito, Malta articulou o apoio do Pastor Silas Malafaia à campanha de Bolsonaro. Ao final da apuração das eleições, Malta conduziu uma oração em rede nacional em agradecimento. Foi chamado pelo presidente eleito de “vice dos sonhos”, mas sua candidatura foi barrada pelo seu partido que decidiu apoiar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Acusado de tentar matar promotores de Justiça no RN vai a júri popular no dia 11

Guilherme Wanderley Lopes da Silva é acusado de tentar matar a tiros, em março de 2017, o então procurador-geral do Estado, o procurador adjunto e mais um promotor de Justiça.

G1.com/RN - O ex-servidor público Guilherme Wanderley Lopes da Silva, acusado de tentar matar a tiros três promotores de Justiça do Rio Grande do Norte, vai a júri popular na próxima terça-feira, dia 11. O crime aconteceu no dia 24 de março de 2017 dentro da sede do Ministério Público do Estado, em Natal.

O julgamento foi marcado pelo juiz Geomar Brito Medeiros, e acontece a partir das 8h no Tribunal do Júri, no Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, no bairro Lagoa Nova, na Zona Sul da capital.

Guilherme aguarda o julgamento detido na Unidade Psiquiátrica de Custódia, no Complexo Penal João Chaves, que fica na Zona Norte. Ele é acusado por três crimes de homicídio tentado, com o agravante de dissimulação. Isso significa, de acordo com a acusação, que ele ocultou sua verdadeira intenção quando, portando um envelope, disse às secretárias do procurador-geral que precisava entrar na sala para entregar alguns documentos encaminhados por um procurador em caráter de urgência – o que levou as funcionárias a abrirem a porta.

Na sentença, a acusação ainda destaca que Guilherme foi “impelido por motivo fútil, consistente na insatisfação, desaprovação e descontentamento que particularmente nutria em relação a medidas administrativas adotadas pela equipe do então procurador-geral de Justiça”.

No ano passado, um laudo feito na esfera administrativa por uma perícia constituída pelo Conselho Nacional do Ministério Público atestou que Guilherme tinha total consciência do que estava fazendo. Tanto que ele foi demitido do cargo.

O caso

O atentado aconteceu dentro da sede do próprio MP, na Zona Sul de Natal. Guilherme entrou na sala do então procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis, jogou um envelope na mesa dele, sacou sua arma de fogo que estava escondida sob a roupa e disparou.

O então procurador adjunto de Justiça Jovino Pereira Sobrinho e o promotor Wendell Beetoven Ribeiro Agra foram baleados. Rinaldo também foi alvo de um disparo, mas Guilherme errou o tiro.

Outras pessoas também estavam na reunião, mas não foram atingidas. Guilherme fugiu e só se entregou à polícia na manhã seguinte.

Advogado bolsonarista provoca Lewandowski em voo e é detido pela PF

Cristiano Caiado de Acioli, defensor ferrenho de Jair Bolsonaro e filho de procuradora da República, gravou com o celular o momento em que diz ao ministro que o STF é "uma vergonha" durante um voo de São Paulo para Brasília

O advogado Cristiano Caiado de Acioli, de 39 anos, foi detido pela Polícia Federal no início da tarde desta terça-feira (4) após provocar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, durante um voo de São Paulo para Brasília.

Antes da decolagem no aeroporto de Congonhas, Acioli avistou o ministro sentado em uma das poltronas da aeronave, ligou a câmera do celular e gravou a provocação. “Ministro Lewandowski, o Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando vejo vocês”.

O ministro, então, rebateu: “Vem cá, você quer ser preso?”.

O advogado começou a questionar e dizer que tinha o direito de se expressar e, em meio a confusão, Lewandowski solicitou a um comissário de bordo que acionasse os agentes da Polícia Federal, que compareceram à aeronave e determinaram que o advogado se mantivesse “tranquilo”. O vídeo que mostra a provocação viralizou nas redes sociais.

O voo, então, transcorreu seu maiores problemas mas, após a aterrissagem, Acioli provocou o ministro novamente. Agentes mantiveram o advogado retido na aeronave e, após o término do desembarque, ele foi conduzido para a superintendência da PF em Brasília. Acioli e seu advogado permanecem no local, mas ainda não foram ouvidos pelas autoridades.

Cristiano Caiado de Acioli demonstra, nas redes sociais, ser um ferrenho apoiador de Jair Bolsonaro e crítico do PT. Ele é filho de Helenita Caiado, subprocuradora da República que presidiu o Conselho Nacional do Ministério Público e irmão do procurador Bruno Caiado.

04 dezembro 2018

NÃO TEM MAIS JEITO: TSE confirma cassação de prefeita e de vereadores de Santa Cruz (RN)

Esposa do deputado Tomba, Dra Fernanda distribuía cotas para aliados adquirirem remédios com recursos públicos

Acompanhando entendimento do Ministério Público Eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou seguimento a mandado de segurança que questionava decisão do TRE/RN de cassar os mandatos da prefeita e do vice de Santa Cruz, Fernanda da Costa Bezerra (Dra Fernanda) e Ivanildo Ferreira Lima Filho (Ivanildinho), bem como de seis vereadores. Os políticos, acusados de prática de abuso político com repercussão econômica, devem ser imediatamente afastados dos cargos.

As irregularidades – distribuição aos aliados da prefeita de “cotas” mensais para aquisição de medicamentos com recursos públicos – foram alvo de uma ação de investigação judicial do MP Eleitoral e ocorreram durante o primeiro mandato da prefeita, intensificando-se nas vésperas das eleições de 2016. Ela fazia uso do contrato firmado pelo município com uma farmácia para conceder vantagens a vereadores da base governista, aos quais se juntaram outros aliados políticos com a proximidade das eleições.

Dentre os beneficiários também condenados estão os vereadores Ana Fabrícia de Araújo Silva Rodrigues de Souza, a Aninha de Cleide; Jefferson Monik Gonçalo Lima de Melo; Mário Augusto Ferreira de Farias Guedes; Raimundo Fernandes Soares; Tarcísio Reinaldo da Silva; e Thiago Augusto Fonseca Gomes, o Dr Thiago.

De acordo com as investigações, cada um dos beneficiados tinha um limite mensal fixo de compras de medicamentos denominado “cotas”. A dos vereadores era de R$ 900, enquanto para os demais aliados foram fixados diferentes tetos de compra. O controle era feito pela drogaria em cadernos específicos para cada “cliente”, nos quais eram anotados à mão os respectivos consumos, com descrição de data/medicamente/valor.

Se a cota não fosse usada dentro do mês, era repassada para o mês seguinte e o limite foi extrapolado nas proximidades das eleições. Vê-se, à toda evidência, que o aumento significativo dos valores pagos à farmácia, tanto em nível global quanto individual (vereadores), justamente nos meses que antecedem a eleição revela que as condutas em apuração ostentam nítido desiderato de influenciar no pleito eleitoral que, à época, se avizinhava”, concluiu o juiz Wlademir Capistrano, relator do processo no TRE/RN.

A decisão – tomada pelo Tribunal Regional no último dia 27, seguindo parecer do MP Eleitoral – decretou, além da cassação dos diplomas e do afastamento dos cargos, a inelegibilidade dos condenados por um período de oito anos. Outros seis envolvidos foram condenados à inelegibilidade por igual período, Francisca Frassinete Dantas Gomes e Marcos Antônio Gomes dos Santos (proprietários da farmácia); Myllena Sanneza de Lima Bulhões Ferreira (secretária de Saúde); Sueli Gomes Crisanto Reinaldo (secretária de Finanças); Acrísio Gomes Júnior (ex-vereador e pai do atual vereador Thiago Fonseca); e Genaro Fernandes da Silva Filho.

29 novembro 2018

Conscientização: Projeto EPT/Aids passa por 10 escolas de Natal

Com o objetivo de conscientizar jovens estudantes, o projeto “Educação Para Todos (EPT)/ Aids” está sendo apresentado em 10 escolas públicas de Natal. Nesta quinta-feira (29) foi a vez de a Escola Estadual Josefa Sampaio, em Santos Reis, receber a comitiva que apresenta o projeto. Na ocasião, foi realizada uma roda de conversa sobre prevenção à Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis. Também foi pautada a importância de se discutir gênero e combater à discriminação a quem é portador do vírus da aids.  Além de professores e coordenadores da escola, profissionais da saúde e a direção do SINTE/RN participaram.

A diretora de administração da Casa do Trabalhador em Educação (CTE), professora Marilanes França, falou sobre o projeto: “É um projeto da maior importância e uma causa assumida pela CNTE. É um trabalho educativo, preparando os jovens para a prevenção e a luta em defesa da vida. Lembrando que dia 1° de dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids”.

O técnico em enfermagem, Eduardo Silva, falou sobre a importância deste trabalho: “Nós estamos fazendo este trabalho nas escolas, orientando e qualificando os alunos para que eles possam aprender e repassar o conhecimento sobre as DSTs e infecções. É um trabalho simples. Porém, de grande importância. Mais vale um aluno prevenido do que um aluno desinformado. É muito importante que o aluno se previna”.

Após Ação do MPRN, Justiça condena ex-secretário de Mossoró por improbidade administrativa

Condenação é decorrente da falta das devidas publicações das licitações do evento Mossoró Cidade Junina
Após uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Púbico do Rio Grande do Norte (MPRN), o Juízo da 1ª vara da Fazenda Pública de Mossoró condenou o ex-secretário municipal de Administração Sebastião de Almeida Medeiros à suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos.
O processo diz respeito a omissões da publicação dos editais na modalidade convite e, em diário oficial, das inexibilidades do evento Mossoró Cidade Junina. O MPRN conseguiu demonstrar que os procedimentos licitatórios nas modalidades convites e inexigibilidade não foram publicados conforme exige a Lei de Licitações. 
A Justiça concordou com os fatos narrados pelo MPRN que apontam que 19 licitações na modalidade convite do Mossoró Cidade Junina não apresentavam comprovantes que atestem a publicação dos editais. Já em relação as inexigibilidade, oito não foram publicadas na imprensa oficial.
Apesar da condenação, o MPRN ofereceu apelação. Segundo o promotor de Justiça Fábio de Weimar Thé, o juízo reconheceu a prática de dano ao erário, mas não aplicou a sanção respectiva de ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos.

28 novembro 2018

Rede Municipal de Natal foi às urnas escolher as novas direções das unidades de ensino

Cerca de 94% das comunidades escolares das unidades de ensino de Natal foram às urnas nessa segunda-feira (26) escolher seus novos representantes. O pleito definiu novos profissionais para os cargos de coordenador pedagógico e coordenador administrativo das unidades de ensino da capital.

Conforme a Lei da Gestão Democrática, votaram alunos a partir dos 12 anos, pais, funcionários e professores. Os gestores escolhidos ficarão à frente das direções das unidades de ensino por 3 anos e terão direito a uma reeleição.

Conquista conseguida nos anos 80, mais precisamente em 1987 e quando o SINTE/RN era ainda apenas um grupo de associações, a Gestão Democrática é até hoje um valor exaltado por professores, alunos e pais.

"Há mais de três décadas o SINTE levantou esta bandeira, que foi a Gestão Democrática nas escolas. Um processo onde toda a gestão escolar participa. A escolha dos diretores é uma das etapas da gestão democrática. Considero muito importante, pois o processo mobiliza toda a comunidade escolar, onde estes têm a oportunidade de exercerem a democracia, num ambiente de aprendizagem e cidadania para todos os envolvidos”, afirmou a diretora de organização da capital do SINTE/RN, professora Simonete Almeida.

“Acredito que a gente, como membro da família, tem que entender a relevância desse processo eleitoral, dessa cidadania que foi um trabalho muito árduo a ser conquistado. Então a gente tem que também participar desse processo e incentivar nossos filhos, para que eles participem e entendam o que é cidadania, direito e responsabilidade”, opinou Andreia Souza, que é mãe de uma aluna que estuda no CMEI Vilma Dutra.