06 novembro 2015

A cachorrada da AMBEV no RN

"A Ambev mamou seus lucros no RN, pagando baixíssimos impostos. A empresa provavelmente vai usar como argumento para sair do estado o provável fim do PROADI. Mas já estava se desmobilizando, produzindo apenas as garrafas de litro, comprovadamente de baixa venda.

Depois de passar anos pagando ICMS de apenas 7,5% (quando o normal seria pagar 25%), ganhar literalmente milhões de Reais com esse incentivo, a AMBEV resolve abandonar o RN justamente quando ele mais precisa de emprego, renda e receita tributária.

Quando decidiu vir para o RN a empresa sabia que o PROADI tinha prazo p se encerrar. A população do estado não pode conceder esse incentivo eternamente para a empresa. 

Vamos descobrir quantos milhões a empresa obtém anualmente de benefícios fiscais. Multiplicar pelos anos que ela está aqui... Comparar com o que daria para investir com o volume dos benefícios concedidos. Os abutres vão tentar vitimizar a Ambev e demonizar o governo do RN."

Por Alex Medeiros.


VIRA LATAS I
A Ambev fica décadas aqui, sugando isenções fiscais, concessão de terreno e tapete vermelho. De repente, vai embora sem nem conversar e a culpa é de quem? Do RN, claro.

VIRA LATAS II
Alguns complexados por serem do nordeste vibraram quando a Coteminas fechou, ficou com o terreno doado para suposto empreendimento. Cadê o investimento bilionário?

VIRA LATAS III
São os mesmos que dizem defender o RN, mas bastou um “assopro” da bancada do Ceará para um dos seus líderes tentar melar o Hub no RN. São os torcedores do atraso.

VIRA LATAS IV
Se querem que a Ambev fique por qual razão não lideram uma campanha de convencimento de pressão de toda população? Consumo responsável. Se fosse em outro país, a própria população lideraria um boicote contra os produtos da empresa, para fazê la desistir. Aqui ficam do lado de quem quer chantagear o estado.

VIRA LATAS V
O governo deve fazer o seu papel, óbvio. Mas é sintomático que determinados grupos vibrem com a chantagem alheia contra o RN.

Fonte: O Potiguar


0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário