29 novembro 2015

Microcefalia! Cinco cuidados que as grávidas podem ter para proteger o bebê

Aumento de casos está relacionado ao zika vírus transmitido pelo Aedes aegypti.

Com os números cada vez mais elevados de casos confirmados e suspeitos de microcefalia no país, as grávidas podem e devem ter alguns cuidados para proteger o bebê da anomalia que se configura em um quadro onde os fetos nascem com o perímetro do cérebro menor ou igual a 33 cm e que compromete o desenvolvimento da criança em 90% dos casos. 

Diante desse cenário, onde não se tem um diagnóstico fechado quanto a origem desse surto, acredita-se que o aumento de casos está relacionado zika vírus transmitido pelo mosquito da dengue (Aedes aegypti) e também tem sintomas parecidos com os da doença endêmica – veja cinco dicas de cuidados que podem te ajudar mais segura nesse período de gestação.

1 – Observe a limpeza da casa e redondezas


Os cuidados são os mesmos para se evitar o Aedes aegypti, já que o mosquito também é o vetor da zika vírus. Então, nada de deixar excesso de água parada para eliminar os criadouros (retirar recipientes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento de água).

2 – Faça algumas adaptações na rotina


Os primeiros casos de números elevados de microcefalia foram registrados no Nordeste. A gente sabe que é uma região é marcada por elevadas temperaturas, mas uma boa dica é que as grávidas optem por roupas que cubram o máximo do corpo, assim é possível evitar o contato do mosquito com a pele. A cobertura do corpo com repelente pelo menos três vezes ao dia em toda o corpo também é uma opção, assim como a instalação de telas nas janelas das casas e apartamentos.

3 – Atenção no início da gestação


A maioria das gestantes que tiveram bebês com microcefalia começou a sentir os sintomas da febre zika durante o primeiro trimestre de gestação. No entanto, a relação entre o período da gravidez em que a doença deu os primeiros sinais e a probabilidade de ocorrência da alteração craniana ainda não foi totalmente comprovada. Procure seu médico para fazer os primeiros exames.

4 – Faça o acompanhamento 


As gestantes devem comparecer a todas as consultas pré-natais, fazer os exames que detectam precocemente doenças que podem ter efeito na gestação e na criança, tomar todas as vacinas indicadas no calendário da gestante e evitar contato com pessoas que sabidamente têm infecções agudas, com presença de febre.

5 – Sem exageros


Para as futuras mamães, nada de consumo de bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de drogas. Também não é aconselhado o uso de  medicamentos sem a orientação médica. 

Por Kyberli Gois – nominuto.com


0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário