12 novembro 2015

Secretaria de Saúde confirma 11 casos de microcefalia no RN

Segundo a Sesap, causa do aumento no número de casos não está clara. Reunião realizada nesta quarta discutirá medidas para tratar casos.

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) confirmou nesta quarta-feira (11) que o estado também registrou casos de microcefalia em recém-nascidos. O Ministério da Saúde decretou situação de emergência para investigar o aumento do número de casos diagnosticados em estados do Nordeste.

De acordo com os dados da Sesap, apenas em Natal, capital do estado, 11 casos da doença foram catalogados. As causas, no entanto, ainda não foram esclarecidas.

Segundo informou a assessoria de comunicação da Sesap, a equipe técnica da secretaria está reunida para mapear os casos já confirmados de microcefalia no estado. Os números serão compilados durante uma reunião realizada ainda nesta quarta, as 18h, com a presença do secretário de saúde, José Ricardo Lagreca. A divulgação dos dados ao público só deve ser feita após a reunião, que também vai discutir as medidas que serão adotadas para tratar dos casos.

Hipótese de ligação com zika vírus

Sobre a hipótese que tem sido discutida pela comunidade médica de que o aumento de casos de microcefalia poderia estar relacionado a infecções por zika vírus - vírus que foi identificado pela primeira vez no país em abril deste ano - os representantes do Ministério afirmaram que ainda é precipitado atribuir o evento a essa causa.

vírus já foi confirmado em 14 estados brasileiros desde abril, segundo informação divulgada pelo Ministério da Saúde na semana passada durante seminário organizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Segundo documento divulgado pela Secretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SEVS/SES-PE), parte das mulheres que tiveram bebês com microcefalia apresentaram erupções na pele durante a gravidez. Apesar de este ser um dos sintomas do zika vírus, não há evidências suficientes para associá-lo à microcefalia, de acordo com o órgão.

De acordo com o ministério, entre os casos de microcefalia registrados recentemente, alguns são graves, no entanto ainda não é possível observar um padrão claro em relação ao grau de microcefalia mais frequente na situação atual.

Entenda o que é a microcefalia

Microcefalia é uma condição médica que se caracteriza por um crânio menor do que o tamanho médio, geralmente por causa de uma falha no desenvolvimento do cérebro. O problema pode estar associado a síndromes genéticas ou a outros fatores como abuso de álcool e drogas durante a gravidez ou a infecção da gestante por rubéola, catapora ou citomegalovirus.

Crianças que nascem com microcefalia podem ter o desenvolvimento cognitivo debilitado. Não há um tratamento definitivo capaz de fazer com que a cabeça cresça a um tamanho normal, mas há opções de tratamento capazes de diminuir o impacto associado com as deformidades.

Segundo o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e AVC dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (Ninds-NIH), algumas crianças acometidas pela anomalia podem ter algum nível de incapacitação. Outras podem se desenvolver de forma similar a outras crianças e ter inteligência normal.

Fonte: G1.com
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário