10 dezembro 2015

Forças Armadas reforçarão combate ao mosquito Aedes Aegypti no RN

O Rio Grande do Norte contará com apoio das Forças Armadas para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chinkugunya e zika vírus. Este último, segundo o Ministério da Saúde, é o responsável pelo surto de Microcefalia no país.

A expectativa é de que os trabalhos em conjunto sejam iniciados na primeira semana de janeiro de 2016. As estratégias para combate ao mosquito foram definidas após reunião entre comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutico com o secretário estadual de saúde, Ricardo Lagreca. Também participaram os gestores da área da saúde do município e do estado.

No entanto, de acordo com a subcoordenadora de vigilância sanitária da Secretaria de Estadual de Saúde (Sesap), Kristiane Fialho, o número de homens que irão atuar em parceria com agentes de endemias ainda não foi definido.

Segundo ela, a estratégia definida em reunião é de que cada agente trabalhará em conjunto com uma dupla de militares.

“Essa foi a proposta apresentada, mas ainda será analisada pelos municípios que receberão o apoio militar e pelas próprias Forças Armadas que ficaram de fazer uma análise do contingente”, explicou ela.

Ao todo, nove municípios receberão o apoio das Forças Armadas no estado: Natal, Parnamirim, Macaíba e Ceará-Mirim, na Grande Natal, além de Mossoró, Assú, Pau dos Ferros, Santa Cruz e Caicó.

As cidades foram definidas tomando como base a incidência de infestação do mosquito e o déficit de agentes de endemias nessas localidades.

“A proposta será apresentada aos secretários municipais de saúde que resolverão se acatarão ou não a estratégia. Além disso, outros municípios que não entraram na lista, inicialmente, também poderão solicitar o apoio, caso julguem necessário”, informou a subcoordenadora.

Capacitação

Kristiane Fialho informou ainda que os militares designados para trabalhar no combate ao Aedes Aegypt receberão capacitação e orientação especial.

“Eles serão orientados para saber identificar focos de larvas do mosquito e assim potencializar o trabalho dos agentes de endemias”, acrescentou.

A capacitação ocorrerá em duas etapas. A primeira delas, será realizada nos dias 22 e 23 de dezembro e a segunda nos dias 29 e 30. “A ideia é iniciar os trabalhos de combate ao mosquito o quanto antes, visto a dinamicidade da situação, que vem mudando constantemente”, concluiu.

Por Saulo de Castro - portalnoar.com

0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário