10 janeiro 2016

Polícia Federal encontra dossiê sobre a advogada Beatriz Catta Pretta na casa de Eduardo Cunha

Nas buscas realizadas na casa de Cunha, os investigadores encontraram diversos dossiês, entre eles um sobre supostas empresas empresas offshore e remessas de valores supostamente ilegais para o exterior da advogada Beatriz Catta Pretta.

No ano passado, a advogada alegou estar sofrendo ameaças para abdicar da defesa de vários réus da Lava- Jato, depois de ter iniciado a onda de delações premiadas no caso.

Em entrevista ao repórter César Tralli, da Rede Globo,  advogada disse que havia decidido deixar os casos dos clientes que defendia na Operação Lava Jato porque se sentia ameaçada e intimidada por integrantes da CPI da Petrobras. Ela disse que, devido às supostas ameaças, fechou o escritório e decidiu abandonar a carreira.

"Depois de tudo que está acontecendo, e por zelar pela segurança da minha família, dos meus filhos, eu decidi encerrar a minha carreira na advocacia. Eu fechei o escritório", declarou.

Velho conhecido e ferrenho adversário de Eduardo Cunha, Antony Garotinho escreveu em seu Blog: “Não é novidade para quem conhece Eduardo Cunha que a Polícia Federal tenha achado vários dossiês na sua casa, entre eles um sobre a advogada Beatriz Catta Preta, que deixou o país depois de sofrer ameaças. Cunha gosta de investigar a vida de políticos e outros personagens que estejam ligados aos seus interesses. Depois usa colegas como intermediários para mandar mensagens com ameaças subliminares. É por esse método que Cunha mantém o apoio de alguns deputados. Se Cunha foi o responsável pelas ameaças à advogada Catta Preta cabe à Polícia Federal investigar, mas não seria nenhuma surpresa. O problema para Cunha é que sua situação chegou a um ponto que nenhum dossiê pode salvá-lo.”


0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário