22 janeiro 2016

Secretaria de Educação de Natal atrasa pagamento de estagiários e gera revolta


O Centro Acadêmico de Pedagogia Paulo Freire, divulgou nota em protesto contra o atraso do pagamento dos estagiários da Secretaria Municipal de Educação de Natal.
 
"Estamos no mês de Janeiro de 2016, mas as/os estagiárias/os da Secretária Municipal de Educação de Natal ainda não receberam o pagamento da bolsa relativa ao mês de Dezembro de 2015. Para além do episódio dos atrasos de pagamentos tão recorrentes, ainda existe uma série de precariedades que denunciam o total descaso da SME (Secretária Municipal de Educação) com as/os estudantes que dedicam 6h diárias para o estágio nos CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil).
 
O estágio, que faz parte de um convênio entre a instituição de ensino superior da/o estudante (no nosso caso a UFRN) e a SME, atualmente é a opção de muitas/os graduandas/os de pedagogia. Teoricamente, é uma oportunidade de complementar a formação pedagógica prática e oferecer um subsídio financeiro para a/o estudante permanecer na graduação. Na prática, somos testemunha e protagonistas de diversos casos de atrasos no pagamento das bolsas, carga horária de trabalho exaustivas e desvio de funções profissionais que não fazem parte do acordo selado com a instituição.

E quem se importa com estas irregularidades?

Normalmente, as/os estagiários aceitam as condições que lhes são impostas pela SME, pela gestão dos CMEIs ou até mesmo pelas professoras orientadoras. O medo de arriscar o estágio, aliado a falta de leis que assegurem e fiscalizem o trabalho as/os levam ao silenciamento frente ao descaso. Por vezes, a sala de aula da graduação serve como um instrumento de “desabafo”. As discussões na universidade parecem uma oportunidade para externar e compartilhar com as/os colegas e professoras/es o que passam na escola.

Portanto, tendo em vista a situação das/dos estagiários, nós do Centro Acadêmico de Pedagogia Paulo Freire nos comprometemos à durante o presente ano promovermos discussões e atividades sobre as dificuldades para a atuação profissional de pedagogas/os em formação, movimentos de reivindicação, sindicalização, greves e diversos outros pontos que dizem respeito a luta das/dos professores.

Precisamos de um movimento de indignação maior! Precisamos que as/os estagiárias/os se unam para reivindicar seus direitos!"

O CAPed Paulo Freire apoia essa luta!

0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário