12 fevereiro 2016

Assassinos de Karolyne são denunciados por latrocínio

Cláudio Fonseca e Renato Dias vão responder por roubo seguido de morte. Maria Karolyne, 19 anos, foi morta em janeiro durante um assalto em Natal.
Cláudio Fonseca e Renato Dias confessaram o crime e vão responder por roubo seguido de morte
A Justiça do Rio Grande do Norte acatou a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual contra Cláudio Moura da Fonseca, de 30 anos, e Renato César Dias, de 33, e ambos vão responder por latrocínio (roubo seguido de morte) no caso da jovem universitária Maria Karolyne Álvares de Melo, de 19 anos, assassinada a tiros no dia 20 de janeiro na Av. Itapetinga, Zona Norte de Natal. Karol caminhava com a irmã quando foi alvo de um assalto. A moça levou um tiro no peito e morreu na hora.

Na denúncia, acatada pelo juiz Rosivaldo Toscano, da 2ª Vara Criminal de Natal, Cláudio Fonseca e Renato Dias podem pegar de 20 a 30 anos de prisão. Com a ação aberta, os advogados dos réus têm dez dias para apresentar os argumentos da defesa. Os dois foram presos no dia seguinte ao crime e confessaram.

O crime

Maria Karolyne Álvares de Melo
foi baleada no peito
Maria Karolyne foi morta na tarde de quarta-feira, 20 de janeiro, em um assalto na Zona Norte de Natal.

De acordo com a Polícia Militar, a jovem de 19 anos caminhava com a irmã pela avenida Itapetinga, no bairro Potengi, quando as duas foram abordadas pelos criminosos, que anunciaram o assalto.

Ainda segundo a PM, elas entregaram os celulares. Mas, mesmo assim, um dos bandidos atirou. Maria Karolyne levou um tiro no peito e não resistiu. A irmã da jovem não foi ferida.

Com comoção, o velório de Karol aconteceu em um centro de velórios no conjunto Santa Catarina. O corpo da jovem foi enterrado no cemitério Parque da Passagem, em Extremoz.

G1.com

0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário