06 abril 2016

Em Parnamirim, vereador propõe CPI para investigar denúncias contra a secretaria de educação

Em sessão ordinária realizada na última segunda-feira (04), na Câmara Municipal de Parnamirim, o vereador Giovani Júnior (PSD), propôs a abertura de uma CPI na Secretaria Municipal de Educação. A Comissão Parlamentar de Inquérito teria o objetivo de investigar todos os contratos realizados pela pasta durante a gestão da ex-secretária, Vandilma Oliveira.

O vereador Giovani Júnior comentou sobre a presença da ex-secretária de educação na Câmara Municipal na última quarta (30), “proponho abrirmos uma CPI a fim de levantarmos todas as questões da Secretaria de Educação Municipal durante a gestão Vandilma Oliveira. Não podemos tolerar o desrespeito que houve nesta casa. Isso não vai ficar assim”, exclamou.

O parlamentar afirmou que “ela faltou com a verdade. Trouxe dados sobre minha gestão na Sec. de Administração de Parnamirim que não são verdadeiros. Em 2008, existiram apenas três contratos sem licitação. Um deles foi o kit dengue no valor de 118 mil reais, a unidade custava 19 reais naquele ano. Fiz os cálculos, corrigida a inflação este kit deveria custar em torno de 30 reais. Não chega à metade do comprado por ela que é de 79 reais”, frisou.

Giovani Júnior ainda explicou que “a compra do kit em 2008 foi feita no dia 28 de julho, porém eu me desliguei da Secretaria de Administração no dia 1° de abril. Portanto, por mais que correta, esta compra não foi feita na minha gestão. Ela veio à tribuna desta casa para falar uma inverdade, um desrespeito ao povo de Parnamirim”, ressaltou.

Em aparte, o vereador Gildásio Figueiredo (PSDB) afirmou que a ex-secretária procurou um erro na administração do vereador Giovani Júnior para justificar o dela, “isto é prova cabal de quem não tem argumentos”, concluiu.

O Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim, Ricardo Gurgel (PSB), disse que espera o requerimento do vereador Giovanni Júnior para submeter à aprovação de todos os vereadores, “diante de tantos contratos sem licitação e com valores exorbitantes, vamos provocar a abertura desta CPI e passar tudo a limpo”, revelou.

O vereador Antônio Batista (PMDB), líder do executivo municipal na câmara, disse que é necessário separar a senhora Vandilma da Secretaria de Educação, “gostaria que fossem colocadas as falhas, mas também os acertos. Não entendo como se descobriu toda essa celeuma justamente num período pré-campanha. Não somos contra a fiscalização, mas falarmos em CPI da educação próximo às eleições?” indagou.


0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário