03 junho 2016

Comando da PM quer Styvenson fora da Lei Seca e o RN pode perder operação mais eficiente da história

Capitão Styvenson Valentim causou revolta com seus comentários e agora pode deixar a coordenação da Lei Seca.



O Comando Geral da Polícia Militar pediu a devolução do capitão Styvenson Valentim aos quadros da instituição. Styvenson estava cedido para o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) onde coordenava a Lei Seca. De acordo com o coronel Dancleiton Pereira Leite, comandante geral da PM, o pedido foi feito após o capitão criticar a atuação de delegados de Polícia Civil no estado. Em um áudio que circulou no Whatsapp o capitão afirmou que "policial civil ganha muito bem para não fazer nada. Delegado ganha 23 mil reais para não fazer nada".

O comandante geral da PM explicou que as críticas criaram um clima instável entre o capitão Styvenson e a Polícia Civil. "As operações da Lei Seca geralmente terminam na delegacia de polícia e as declarações dele criaram um clima ruim, mesmo ele tendo se retratado. Por isso achamos prudente evitar esse contato dele com a Polícia Civil. Entendemos que essa é a melhor atitude, inclusive, para preservá-lo", disse.

Por telefone, o capitão Styvenson Valentim afirmou que é subordinado ao comando da PM e o que for decidido pelo comandante será feito. "Estou cedido ao Detran, mas fiz concurso para a Polícia Militar. Não cabe a mim julgar a decisão, cabe a mim aceitar", disse.

O pedido de devolução do capitão aos quadros da Pm foi protocolado na Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) nesta sexta-feira (3), segundo a assessoria. A decisão de devolver ou não o servidor é do titular da pasta, general Ronaldo Lundgren. De acordo com a assessoria, o secretário vai avaliar o pedido e ainda não tem nenhum posicionamento. Ainda segundo a assessoria da Sesed, não há prazo máximo para a solicitação ser respondida.

G1.com RN
 
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário