06 setembro 2016

Bancários iniciam hoje greve nacional por tempo indeterminado

Categoria pede reajuste de 5% além de reposição da inflação (9,57%); bancos oferecem reajuste de 6,5% sobre o salário e benefícios, e abono no valor de R$ 3 mil

Folha - Os bancários de instituições públicas e privadas iniciam greve nacional nesta terça-feira (6). A categoria reivindica reajuste salarial de 5% além de reposição da inflação no período (9,57%). Os bancos oferecem reajuste de 6,5% sobre o salário e benefícios –como vale-alimentação e auxílio-creche–, além de um abono no valor de R$ 3 mil.

[Clique aqui e saiba como usar os serviços bancários durante a greve]

De acordo com a Contraf (confederação que representa trabalhadores do ramo financeiro), a paralisação foi aprovada em assembleias de cerca de 140 sindicatos e federações pelo país realizadas na semana passada. A última greve nacional dos bancários aconteceu em outubro de 2015 e durou 21 dias. A categoria conseguiu um reajuste de 10%, com aumento real de 0,11%.

Enquanto trabalhadores e bancos seguem na campanha salarial, as contas continuam vencendo. O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) afirma que, como a greve não é de responsabilidade do fornecedor nem do consumidor, não podem ser impostas penalidades, como multa e juros, no caso do atraso do pagamento.

“Mas, diante dessa situação, o Idec recomenda que o consumidor se programe para realizar o pagamento, de preferência antes mesmo da data de vencimento da conta”, diz a entidade em nota.

O QUE OS BANCÁRIOS PEDEM

Reajuste – 5% mais a inflação de 9,57%
Benefícios – R$ 880,00 em vales-alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche
Piso – R$ 3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese)

O QUE OS BANCOS OFERECEM


Reajuste – 6,5% sobre salário e benefícios
Abono – R$ 3.000,00
Piso – R$ 2.842,96

Por: Folha de São Paulo
 
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário