01 setembro 2016

Juiz solta preso porque “verdadeiros bandidos” estão soltos dando um golpe na democracia


O presidente Michel Temer afirmou nesta quarta-feira (31), em seu primeiro pronunciamento oficial no rádio e na TV, que vai pacificar o País. Só que o presidente vai ter muito trabalho, pois o clima político está conflagrado. É o que mostra essa sentença do juiz plantonista da 17ª Vara da Justiça Federal, em Belo Horizonte, Carlos Alberto Simões de Tomaz.

O juiz determinou no sábado (27) a soltura do preso José Cleuto de Oliveira Almeida, alegando que não há causa justa para a manutenção da prisão e deu uma justificativa inusitada: “Efetivamente o custodiado está a ganhar seu pão, enquanto os verdadeiros bandidos deste País, que deveriam estar presos, estão soltos dando golpe na democracia”.

Um em cada três senadores que julgaram e cassaram a presidente Dilma Rousseff, nesta quarta-feira (31), responde a investigações ou ações criminais no Supremo Tribunal Federal (STF), de acordo com levantamento do Congresso em Foco. Entre as acusações, corrupção, crime eleitoral, lavagem de dinheiro, desvio de verba pública e crime de responsabilidade. Dos 81 integrantes do Senado, 26 são alvos de inquérito ou ação penal. Ao menos 13 senadores são suspeitos de participar do escândalo na Petrobras.

O Senado tem até um parlamentar condenado pelo próprio Supremo a quatro anos e oito meses de prisão por fraude em licitações: Ivo Cassol (PP-RO). Três anos após a condenação imposta pela corte, Cassol está livre, no exercício do mandato. Segundo informações do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, 300 congressistas (senadores e deputados federais) respondem ações no STF.


0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário