18 outubro 2016

[MAIS UM PROCESSO] Vereador Luciano Morais é réu em uma Ação de Improbidade Administrativa


O Ministério Público Estadual, através 3ª Promotoria de Justiça de Ceará-Mirim, ingressou com uma AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA por VIOLAÇÃO DOS PRINCÍPIOS ADMINISTRATIVOS contra o vereador Luciano Morais. O processo foi distribuído no dia 10 de outubro e tramita na 1ª Vara Cível de Ceará-Mirim, sob o Nº 0102347-11.2016.8.20.0102.

Esta ação soma-se ao vasto número de processos onde o vereador já responde por Difamação, Indenização por Prejuízo, Tortura, Excesso de Exação, Falsidade Ideológica, Advocacia Administrativa e Crimes Previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

De todos os processos, o mais emblemático é o famoso processo onde o vereador é acusado pelo crime de tortura, e que já lhe rendeu alguns dias na cadeia. Este processo que já se arrasta há mais de 3 anos e que passou mais de um ano adormecido, teve nos últimos meses uma importante movimentação que indica breves novidades.

Fim de carreira

O vereador Luciano Morais, que foi eleito em 2012 com 1956 votos, na eleição deste ano conseguiu apenas 751 votos e ficou de fora da próxima legislatura.

Diante de um mandato tão recheado de episódios repugnantes, não foi surpresa para ninguém a rejeição que o vereador sofreu pelos seus próprios eleitores e que, possivelmente, determinou o fim da sua carreira política.


2 Comentários

2 comentários:

  1. Pensei em encontrar um texto que tivesse alguma novidade,mas,infelizmente perdi meu tempo em ler umas poucas linhas,onde vislumbro uma mera politicalha que tem como objetivo detonar o [ ainda ] vereador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ruy. Talvez você não tenha percebido que a Ação de Improbidade Administrativa foi distribuída no dia 10 de outubro. Portanto, parece-me novidade. Será que a sensação que você tem de que não é nenhuma novidade não se deu pelo fato de parecer ser "normal" que o vereador em fim de carreira responda a tantos processos? Politicalha, para você, seria tornarmos público o fato de um vereador responder a uma Ação de Improbidade Administrativa? Deveríamos silenciar sobre isso? Sobre "detonar": detonar o que há muito tempo já está detonado?

      Excluir