29 outubro 2016

SINTE/RN e Comitê de Juristas Pela Democracia emitem nota defendendo ocupações dos estudantes


Nesta quinta-feira (27) o SINTE/RN e o Comitê de Juristas Pela Democracia divulgaram uma nota defendendo as ocupações estudantis nas escolas do RN.

No texto, Sindicato e Comitê afirmam que “Os estudantes sabedores dos seus direitos e dos riscos que o sistema educacional brasileiro corre, manifestam-se através da ocupação, defendendo uma escola livre; uma escola plural; que respeite as diferenças e que verdadeiramente queira formar cidadãos e cidadãs com autonomia do pensar. Lutam contra as medidas impostas de forma unilateral”.


Nota Sinte/RN e Comitê dos Juristas

O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – SINTE/RN, vem, por meio desta, manifestar publicamente seu apoio às ocupações estudantis das escolas municipais e estaduais da rede de ensino do Estado do Rio Grande do Norte. Nesse sentido esta entidade representativa apela a toda categoria de educadores que acompanhe e oriente as mobilizações dos estudantes a fim de que continuem ocorrendo de forma democrática como a mais pura expressão da cidadania desses jovens. Os estudantes sabedores dos seus direitos e dos riscos que o sistema educacional brasileiro corre, manifestam-se através da ocupação, defendendo uma escola livre; uma escola plural; que respeite as diferenças e que verdadeiramente queira formar cidadãos e cidadãs com autonomia do pensar. Lutam contra as medidas impostas de forma unilateral e que desprestigiam o diálogo com a sociedade e principalmente com a comunidade acadêmica.

A PEC N. 241, que limita o teto dos investimentos dos três poderes, a Medida Provisória nº 746/2016, que impõe escola sem partido e a reforma curricular e de funcionamento do ensino médio, são apenas parte de um projeto do novo governo que se comporta como se legítimo fosse, esfacelando toda a construção de direitos conquistados pela classe trabalhadora ao longo da história recente do Brasil.

Por último, o SINTE/RN apresenta seu repúdio à Recomendação n. 009/2016 -78ª PmJE, emitida pela Promotoria de Educação de Natal, que recomenda à Secretaria de Educação medidas de investigação, de abertura de sindicância e de identificação de alunos matriculados nas escolas, adotando um tratamento intimidador, vexatório ao movimento de jovens, violando as normas protetoras estabelecidas na Constituição Federal de 1988, da Declaração Universal de Direitos Humanos e do ESTATUTO DA CRIANÇA E ADOLESCENTE, Lei n. 8.069/1990, que em especial garante às crianças e adolescentes “a inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.” Assim como no artigo 18 preceitua que: “É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor”.

Como disse a estudante Ana Júlia do Paraná em audiência pública: “De quem é a escola?”

Assinam a presente Nota o SINTE/RN e o Comitê de Juristas Pela Democracia. 



0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário