15 dezembro 2016

[GOLPE DA MANDALA] Envolvidos na fraude poderão ser presos, diz Ministério Público de SP

Todos, quem depositou e quem organiza, poderão ser presos preventivamente a partir da abertura do inquérito, nesta quarta-feira



O Ministério Público de São Paulo abriu investigação para chegar aos responsáveis pelo GOLPE DA MANDALA, no WhatsApp, e enquadrá-los em crime contra a economia popular, cuja pena, além do pagamento de multa, rende prisão de seis meses a dois anos.

O promotor de São José do Rio Preto e secretário executivo da Justiça Criminal, José Heitor dos Santos, solicitou a abertura de inquérito policial nesta quarta-feira, 14, e que, de imediato, seja decretada prisão preventiva dos praticantes do GOLPE DA MANDALA.

Todos, quem depositou e quem organiza, poderão ser presos preventivamente a partir da abertura do inquérito, nesta quarta-feira”, disse o promotor.

A decisão foi tomada durante reunião com os promotores criminais de Rio Preto. Dos 11 promotores, oito compareceram. “Ficou decidido, por unanimidade que em tese a mandala trata-se de um crime contra a economia popular”, disse Santos. “A mandala tem todos os indícios de uma pirâmide. Fiz um levantamento que mostra que, entre 100 participantes, dez vão receber. Outros 90 ficam no prejuízo.”

A princípio, a polícia tem 30 dias para concluir o inquérito.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário