30 junho 2017

“Diferencial do governo Robinson ​é que​ ​não falta trabalho”, diz Fábio Dantas


Durante o evento de assinatura da ordem de serviço para obras de saneamento no município de São Miguel Gostoso, o vice-governador do Rio Grande do Norte Fábio Dantas (PC do B) avaliou a gestão de Robinson Faria (PSD) à frente do executivo estadual. Para o ex-deputado, a gestão da qual faz parte tem sido difícil de manusear, principalmente pelo cenário ruim em que foi iniciada, mas tem buscado se sobressair com um diferencial: o trabalho árduo por parte de todos que compõem o poder executivo.

Questionado pelo Agora Jornal sobre qual a avaliação que fazia do quadro governamental atual, Fábio foi sincero ao relatar as dificuldades encontradas pela gestão, sobretudo no tocante a falta de recursos, problema este que se agravou ainda mais nos últimos anos em razão da crise que assolou o país e ainda permanece até os dias atuais, resultando numa queda brusca no faturamento do Estado.

“Eu acho que para avaliar o governo nós temos que ponderar quais as diferenças entre a gestão dele e as demais. Robinson pegou o Estado de uma forma financeira difícil, com muitas dificuldades, sem créditos, 5 anos de seca… pegamos o país praticamente com 3 presidentes da República e cada um com uma forma diferente de governabilidade, pegamos toda instabilidade econômica e diversos outros fatores. O diferencial da nossa gestão, no entanto, é não falta trabalho desde o primeiro dia. Com isso vamos tocando nossa vida”, contou.

Segundo Fábio, a gestão estadual tem utilizado de todas as artimanhas para conseguir levar o executivo da melhor maneira possível, muito embora o momento dificulte as ações. Justamente por isso, a avaliação deve ser feita de maneira cuidadosa e não comparativa com outras realidades.
“Tentamos todas as formas possíveis e impossíveis de minimizar os problemas. Numa avaliação de governo que passa por tantas dificuldades, creio que não dá para fazer comparação numérica com governos que pegaram o Estado de outra maneira, com dinheiro. A partir do momento que uma gestão pega um estado de forma complicada como nós pegamos, certamente os números serão complicados”, afirmou, completando:

“No nosso caso, o que existe de possibilidade para melhorar a gente tem buscado: tem sido assim no turismo e tem sido assim também na segurança pública, onde estamos fazendo investimentos sucessivos desde que assumimos o Estado”, concluiu.

Devido a proximidade do próximo pleito eleitoral, muitas lideranças políticas já estão vislumbrando a disputa ao Governo do Estado no ano que vem. Todavia, no caso de Robinson tem sido diferente. Pelo menos foi isso que disse o companheiro de chapa dele, Fábio Dantas. Segundo o vice-governador, Robinson não tem pensado, neste momento, sobre as eleições, e está focando suas atenções apenas em melhorar o cenário do Estado.

“No momento, o Rio Grande do Norte está passando por muitas adversidades. Para falar em 2018 precisamos primeiro superar esses problemas. Quando isso for feito, a gente passará a pensar no campo político. Neste momento nosso foco e o foco do governador está voltado exclusivamente para o trabalho que queremos concluir no Rio Grande do Norte. Não dá para pensar em disputa eleitoral num momento com o atual”, declarou.

Além de Robinson, a ciência política potiguar tem colocado como futuros candidatos ao Governo do Estado o atual prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), e a atual senadora da República, Fátima Bezerra (PT). Perguntado sobre esses dois possíveis adversários, Fábio elogiou a força política de ambos e disse que eles estão preparados para contribuir com um bom debate eleitoral no ano que vem.

“A democracia é boa por isso. Quanto mais pessoas estiverem dispostas para debater democraticamente a situação do Estado, colocar ideias para melhorar, o Rio Grande do Norte só tem a crescer. Todo mundo é importante, cada um com suas peculiaridades e anseios. Caso os dois realmente se coloquem como candidatos ao Governo do RN, vai ser uma medida só engradecerá o nível da discussão sobre as melhorias a serem aplicadas em todo Estado”, declarou.

No tocante a Carlos Eduardo, Fábio Dantas fez uma avaliação da gestão à​ frente da Prefeitura do Natal. Para o vice-governador, o prefeito tem encarado diversos problemas assim como tem acontecido com o Estado. No entanto, neste caso fez um comparativo: o RN tem mais situações adversas do que Natal, que atualmente só precisa se preocupar com a Câmara Municipal, composta pelos vereadores. Apesar de tudo, disse torcer por uma recuperação do executivo natalense.

“É uma administração cheia de adversidades. Diferente do Estado que, além disso, ainda tem que se preocupar com o setor econômico e com os Poderes, a Prefeitura só tem a Câmara. Em nossa responsabilidade estão o TJRN, a Assembleia Legislativa, o Ministério Público, o Tribunal de Contas (TCE), a Defensoria Pública, a UERN, etc. É mais fácil administrar quando se trata de Prefeitura, mas mesmo assim o prefeito tem enfrentado adversidades. Apesar de tudo, torço para que melhore. Afinal, Natal melhorando significa que o RN também vai melhorar”, finalizou.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário