05 dezembro 2017

Trabalhadores de Natal ocupam Rua Apodi para protestar contra a reforma da Previdência


Carregando faixas e cartazes com frases de protesto, empunhando bandeiras, gritos de guerra ecoados e muito engajamento na luta. Foi assim que os trabalhadores, entre eles os da educação do RN, estudantes e sindicatos ocuparam a Rua Apodi, na altura do INSS, em Tirol, bairro da Zona Leste de Natal, para protestar contra a Reforma da Previdência nacional. A atividade aconteceu na tarde desta terça-feira (05) e fez parte do Dia Nacional de Mobilização encampado pelas principais centrais sindicais do país e diversos movimentos e frentes sociais. (Veja AQUI as fotos da manifestação unificada)

Não houve caminhada, mas os representantes das entidades deram o seu recado através de apartes. Um caminhão de som deu todo o apoio e estudantes batucaram músicas com letras que têm tudo que ver com a luta da classe trabalhadora.

O SINTE/RN esteve presente no ato unificado e deu o seu recado. A diretora de organização da capital do SINTE, professora Simonete Almeida, disse que os trabalhadores vão continuar lutando contra a Reforma da Previdência e qualquer retirada de direito: “Seja na esfera federal, estadual ou municipal, vamos seguir na luta contra qualquer retrocesso!”.

Além de ecoar a luta contra a Reforma da Previdência, o SINTE/RN levou à rua a pauta específica da educação. No âmbito nacional, a parada desta terça (05) objetivou barrar a Reforma do Ensino Médio e revogar a Reforma Trabalhista e a lei da Terceirização, bem como protestar contra a Emenda 95.

Já no nível estadual, a mobilização teve como objetivo exigir que o governo Robinson apresente um calendário de pagamento dos servidores aposentados da Rede Estadual e retire da Assembleia Legislativa o pacote fiscal/econômico que, entre outras coisas, aumenta a contribuição previdenciária de 11% para 14%. A diretora de aposentados do SINTE/RN, professora Marlene Moura, disse que a situação dos aposentados está insustentável: “Os aposentados já não suportam mais. Estão há 22 meses nessa penúria de não saber quando o salário vai ser pago. Isso é um absurdo!”, afirmou.

A nível municipal de Natal, a parada foi em prol do pagamento em dia dos salários dos aposentados, pagamento de direitos funcionais e unificação das carreiras dos profissionais. A pauta do interior englobou a luta em favor da eleição direta para diretor e vice-diretor, cumprimento da lei do Piso e 1/3 de Hora Atividade.

Pela manhã dirigentes do SINTE/RN e trabalhadores em educação entregaram panfletos e conversaram com a população natalense, no Centro da cidade, sobre os motivos da mobilização/paralisação nacional. As redes estadual e municipal paralisaram as atividades.

Após a panfletagem, os trabalhadores em educação se somaram a caminhada dos trabalhadores da saúde e servidores do município de Natal. A passeata foi encerrada em frente a Prefeitura de Natal.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário