19 fevereiro 2019

Sesap aposta na organização e planejamento para aprimorar a saúde no estado

Em visita à sede do Conass nesta terça-feira (19), o secretário de estado da Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, falou a respeito das expectativas de sua gestão em relação ao apoio técnico do Conass e de como a secretaria está se preparando para receber os projetos do Programa de Apoio às Secretarias Estaduais de Saúde (Pases), do Conass, e ao Projeto de Fortalecimento da Gestão Estadual do SUS, do Proadi-SUS.

Secretário, quais suas expectativas em relação à contribuição do Conass à secretaria por meio do Pases?

Que essa contribuição do Conass possa efetivamente trazer elementos para o processo de reestruturação do Sistema Único de Saúde que pretendemos fazer no estado, começando pela estruturação da própria secretaria para que ela assuma sua função de formular, coordenar e implementar políticas de saúde, com forte assento regional.

Esperamos que este apoio nos ajude com o fortalecimento da regionalização e da instituição dos consórcios para que tenhamos agências regionais que gerenciem os serviços de saúde neste âmbito. Também temos a expectativa de que todo o processo de cooperação contribua para a qualificação do apoio da secretaria no fortalecimento e qualificação da Atenção Primária à Saúde (APS) junto aos municípios, assim como das práticas de atenção à saúde nas Redes de Atenção à Saúde (RAS) nas regiões de saúde.

Recebemos a secretaria com um passivo assistencial muito grande, com filas de espera para exames e cirurgias, além da desarticulação, ausência do processo regulatório e diversas carências em relação ao planejamento. Por isso, vamos intensificar o planejamento das ações e estruturar as regiões e o funcionamento das redes e também da regulação das ações e dos serviços e da qualificação das práticas assistenciais. Neste aspecto, creio que o componente da Segurança do Paciente seja relevante, bem como a qualificação da gestão por meio da Planificação da Atenção à Saúde que vem sendo experimentada em muitos estados.

Esperamos trabalhar estas ofertas, juntamente com as ofertas do Proadi-SUS, pensando no planejamento do SUS, nos Planos Plurianuais de Saúde e Planos Estaduais de Saúde, como forma de estruturar o sistema de saúde no estado de maneira organizada, articulada e em constante parceria com os municípios, honrando com a contrapartida financeira e com apoio técnico para que tenhamos um cenário melhor para a saúde do Rio Grande do Norte no médio e longo prazos.

E como a secretaria está se organizando e se preparando para essas mudanças?

Já discutimos no colegiado e definimos um responsável por essa articulação, junto à coordenação de planejamento, pois temos a preocupação de planejar esse apoio para que ele não se traduza em uma multiplicidade de ações desarticuladas.

Além disso, como vamos trabalhar com o apoio do Conass e do Proadi para as áreas específicas, vamos coordenar os tempos das equipes para evitar que os projetos comprometam outras ações. Ou seja, estamos nos organizando para que tudo seja feito de maneira sincronizada e que as equipes realmente estejam se qualificando para as devidas implementações e práticas.

Resgatamos o processo que a secretaria iniciou em 2017, de reestruturação da área administrativa e financeira, retomando com os novos coordenadores a implementação do que foi posto à época e a equipe já está estruturando os protocolos estruturais.

Estamos cuidando para que todas as nossas ações sejam articuladas, inclusive com as parcerias que pretendemos estabelecer com as universidades em cada região para potencializar o saber local e a contribuição do Conass, do Proadi e de outras instituições também vêm no sentido de fazer com que o aprendizado possa ser apropriado pela equipe e também pelos municípios que participarem do processo de regionalização. Queremos que o saber seja reproduzido, compartilhado para, assim, melhorarmos a qualificação das equipes nos âmbitos estadual e municipal com vistas a dar efetividade àquilo que for pensando, concebido e planejado.

Nossa diretriz é trabalhar o fortalecimento da parceria com os municípios e com as universidades nos territórios regionais sabendo da importância do SUS na formação dos profissionais. Por isso, a parceria com as universidades é oportuna para todos, tanto para os futuros profissionais que vão se formar com a experiência no SUS, quanto para a qualificação dos serviços para os quais a participação das universidades no ensino, na pesquisa, na inovação e na educação permanente dos profissionais é de fundamental importância.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário