09 abril 2019

Após pressão do Fórum, governo acata proposta e anuncia pagamento de abril

O governo do Estado acatou a proposta do Fórum Estadual dos Servidores sobre o pagamento do salário do funcionalismo relativo a este mês de abril. O anúncio foi feito em nova audiência entre o Fórum e o Executivo, realizada nesta segunda-feira (08). O SINTE/RN esteve presente.

A proposta das entidades sindicais feita na semana passada solicitava que o governo pagasse no dia 15 de abril, e de forma integral, a quem ganha até 5 mil reais. Antes, o Executivo havia proposto pagar até 3 mil reais, mas a ideia foi prontamente rechaçada. Em seguida o Executivo sugeriu 4 mil. Contudo, o Fórum novamente disse não e propôs ao governo efetuar o pagamento da faixa salarial de 5 mil reais.

O impasse fez com que a audiência de quinta (04) passada fosse encerrada sem uma definição quanto ao salário de abril. Um novo encontro foi marcado para esta segunda (08) com a promessa de que a viabilidade da contraproposta dos trabalhadores seria avaliada.

Assim, o pagamento deste mês será da seguinte forma:

15 de abril: Integral para quem ganha até 5 mil reais

15 de abril: 30% para quem recebe acima de 5 mil

30 de abril: Os 70% restantes de quem ganha acima de 5 mil reais

A coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, afirmou que o resultado dessa negociação é fruto da luta conjunta: “Hoje, essa proposta nossa ter sido aceita pelo governo foi resultado daquilo que costumeiramente nós fazemos, que é o exercício da pressão. E o Fórum tem cumprido esse papel importante, e o bom disso é que não se dá de forma isolada”.

FOLHAS EM ATRASO DEIXADAS PELA GESTÃO PASSADA

A exemplo do que ocorreu na audiência da semana passada, o pagamento das folhas em atraso deixadas pela gestão governo Robinson Faria continua na mesma situação. Ainda não existe previsão de quando as folhas serão quitadas pelo governo. Contudo, o processo de angariar os recursos dos royalties do petróleo e gás dos anos de 2019, 2020, 2021 e 2022 continua em curso.
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário